Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

A França também se mobilizou imediatamente para prestar ajuda à população local e às autoridades moçambicanas no seguimento do ciclone Idai que atingiu a cidade de Beira e as regiões de Sofala, Zambézia, Manica e Tete, na noite de 14 para 15 de março, provocando importantes perdas humanas e materiais.

Um avião fretado pelo Centro de Crise e de Apoio (CDCS) do Ministério da Europa e dos Negócios Estrangeiros francês, partiu de França, a 27 de março, no quadro da missão “Ação Humanitária França” realizada com ONG e fundações de empresas parceiras.

Esta missão permitiu enviar: 65 toneladas de ajuda humanitária composta por tendas, candeeiros a energia solar, pastilhas de purificação de água e, ainda, capas de chuva provenientes da reserva de emergência do Centro de Crise e de Apoio. Mas enviou também unidades de purificação de água da Fundação Veolia e da “Aquassistance” (associação de solidariedade internacional do pessoal do Grupo Suez); material elétrico da “Electriciens Sans Frontières”; tendas e capas da “Architectes sans fronteires”, da “SOS Attitude” e do “Plan International”; Kits médicos da associação “Tulipe” e dos “Médecins du Monde”; equipamentos de abrigo e higiene da “Solidarités International”; material ortopédico da “Humanité et Inclusion”; um kit para organizar a distribuição da ajuda da Cruz Vermelha Francesa.

Além disso, sob a coordenação do CDCS, serão encaminhadas para Moçambique duas outras estações de purificação de água da “Aquassistance – Fondation Suez”, localizadas na Reunião e em Mayotte, e a Fundação Airbus colocou à disposição horas de voo de helicóptero para se fazer o reconhecimento das regiões atingidas.

Este segundo envio segue-se a um primeiro envio de ajuda humanitária de emergência, proveniente das reservas da plataforma de intervenção regional do Oceano Índico (PIROI) na Reunião, financiada e enviada a 20 de março pelo CDCS, em colaboração com a Cruz Vermelha francesa. Além disso, o CDCS e o Ministério francês da Defesa coordenaram a implementação de meios marítimos e aéreos para encaminhar uma ajuda humanitária adicional proveniente das reservas da PIROI, na Reunião e em Mayotte.

A Embaixada de França em Maputo assegura o contacto com as autoridades locais e supervisiona a receção da ajuda humanitária.

A ajuda a prestar às populações afetadas é coordenada pelo CDCS, juntamente com Ministérios, parceiros privados, fundações de empresas e ONG, mobilizados no quadro do mecanismo europeu de proteção civil, no seguimento do apelo à ajuda internacional lançado por Moçambique a 20 de março.

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 5 Votos
6.2
X