Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

O presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro, defendeu em Paris um maior empenhamento dos cidadãos nos desafios que as questões climáticas colocam.

Para o governante, citado numa nota de imprensa do executivo, o sucesso da resposta aos desafios da sustentabilidade ambiental depende de um cada vez maior envolvimento das comunidades, alegando ser fundamental que esta parceria responda às necessidades e às preocupações da vida diária dos cidadãos.

Vasco Cordeiro falava na sessão “Promover o Compromisso”, no Global Positive Forum, promovido pelo Instituto da Economia Positiva (Institut de l’Économie Positive), gerado em 2018 pela Positive Planet Foundation.

O instituto tem como meta transformar a economia numa “economia positiva”, como “garantia de sustentabilidade e uma alavanca de sucesso para todos”.

Segundo Vasco Cordeiro, tem de haver um maior empenhamento dos cidadãos nas estratégias e nas políticas de resposta a estes desafios, cabendo às instituições públicas promover a transparência, através da partilha da informação sobre as decisões que são tomadas nestas matérias.

O chefe do executivo dos Açores apontou o exemplo da ilha do Corvo, onde a população decidiu criar uma área de restrição de pesca, que “não foi imposta e que não resultou de regulamentos ou da lei”.

“Se quisermos ter cidadãos mais empenhados, em primeiro lugar, temos de ter em conta as suas necessidades diárias. Se quisermos discutir as alterações climáticas, temos de as relacionar com a vida das pessoas que são afetadas por estes fenómenos”, disse.

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 1 Voto
1.3
X