Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Grupo de fado Eleziela: Anabela Vilela cantou na Croix Rousse

LusoJornal / Jorge Campos LusoJornal / Jorge Campos LusoJornal / Jorge Campos LusoJornal / Jorge Campos LusoJornal / Jorge Campos LusoJornal / Jorge Campos LusoJornal / Jorge Campos

Na sexta-feira passada, dia 28 de setembro, a sala de espetáculos “La Boîte à Gants”, na Croix Rousse (69), apresentou uma Noite de Fado animada pelo grupo de fados luso-francês Eleziela. Um público essencialmente francês na sala, aplaudiu a fadista Anabela Vilela e os músicos Mickael na guitarra portuguesa e Sylvain na viola.

“Estou muito feliz e contente pelo entusiasmo do público de hoje. Eu interpreto fados de Amália Rodrigues, na maioria do nosso espetáculo que pode durar uma hora e meia, pois foi esta grande fadista que despertou em mim o gosto pelo fado com toda a sua dimensão e a sua emoção” disse Anabela Vilela. “Descobri tudo isto já no tarde, mas foi para reencontrar a cultura e a língua portuguesa que os meus pais me transmitiram. Assim o contacto foi muito mais fácil. Mas foi só aos 30 anos que comecei a cantar em português, no âmbito de canções do mundo. Apaixonei-me pelo fado, e é deste modo que gosto de me exprimir em português, cantando fado. Hoje faço isto em paralelo com a minha profissão, pois sou professora de francês, casada e mãe de uma menina” concluiu a cantora que nasceu na Loire, com pais originários de Póvoa do Lanhoso.

Os dois músicos que a acompanham são franceses. “Sou francês e toco nesta guitarra portuguesa que adquiri há meses. Também toco viola e estou à procura de um professor para poder me aperfeiçoar. A musicalidade e a sonoridade deste instrumento fascina-me, assim como a melodia do fado, que me emociona” explica Mickael ao LusoJornal. “Ouvir os fadistas e acompanhar à guitarra uma fadista, é para mim fascinante e delicioso”.

O grupo faz espetáculos na região de Lyon e também no estrangeiro, onde tem tido grande acolhimento e sucesso.

“Como o Mickael, também sou francês. Faço parte do grupo desde o início pois somos todos fundadores de Eleziela. Acompanho à viola os fados interpretados pela Anabela” explica, por seu lado, Sylvain. “Hoje estou muito feliz com o que faço e o fado é a minha segunda natureza. Também já canto algumas frases em português para acompanhar em dueto a Anabela. Espero que tudo isto continue no futuro, pois tenho grande prazer em viver estes instantes únicos que são os de acompanhar à viola uma cantora de fado”.

 

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 1 Voto
9.5
X