Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Hirond’Ailes e Rádio Alfa organizaram Lusotopithon

LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha

O Téléthon é um evento, organizado pela associação francesa contra as Miopatias, que visa angariar fundos para investigações médicas para lutar contra doenças genéticas, por exemplo.

Este ano, como já vem sendo habitual, a Associação Hirond’Ailes liderada pela Presidente Suzette Fernandes, organizou, em conjunto com a Rádio Alfa, a iniciativa Lusotopithon para angariar fundos em favor do Téléthon.

Das 19h00 de sexta-feira até às 7h00 de sábado passado, várias pessoas estiveram presentes nas instalações da Radio Alfa para ajudar, com donativos ou com o seu tempo, nas diversas iniciativas organizadas.

“Objetivo é ajudar o Téléthon e as iniciativas do Téléthon. Há 12 Hirond’Ailes que estão sempre ativas na Associação em prol dos outros, para ajudar as pessoas. Tentamos sempre dar o nosso melhor”, afirmou a Presidente da Associação, lembrando também que “ajudamos o Téléthon, que angaria fundos para encontrar curas para doenças raras. Quanto às Hirond’Ailes, é uma associação para ajudar pessoas carenciadas ou ajudar projetos direcionados para pessoas com dificuldades”.

Uma iniciativa que começa com os elementos da Associação Hirond’Ailes que “tinham encomendas de homens de neve, de bolas de Natal ou ainda uma coroa de Natal”, mas que se estende a uma boa parte da equipa da Rádio Alfa presente, entre eles o animador Vítor Santos. “Eu ocupei-me da emissão que acompanhou a iniciativa durante toda a noite nos estúdios da Rádio Alfa. Fomos até às 7h00 da manhã”, afirmou o animador que lembrou que tudo não se resume aos donativos. “Claro que precisamos de donativos, mas se não for com donativos, que seja com o seu tempo. Fazemos o que podemos, com o que temos”.

E ‘ateliers’ não faltavam para dar uma mãozinha e ajudar durante a noite inteira, como por exemplo na reprodução de bandeiras da Lusofonia com materiais diferentes, tipo algodões, linhas, botões, madeira… A conhecida artista plástica Nathalie Afonso, pintou um quadro que tinha por tema ‘as Mulheres do desfile da nossa Senhora da Agonia de Viana do Castelo’. O quadro foi sorteado para aqueles que compraram rifas.

Nathalie Afonso também fez retratos, cujo calor recolhido foi revertido para o Téléthon.

Vários outros artistas passaram igualmente pela rádio. E as Hirond’Ailes coordenaram tudo. “Foi uma noite de confraternização. Era um momento para partilhar entre todos nós, com os ouvintes igualmente. O tema da noite foi: todos juntos, vamos mais longe”, insistiu Vítor Santos.

Foi uma iniciativa que teve o apoio de vários intervenientes, como referiu Suzette Fernandes. “Temos de louvar a ajuda da Rádio Alfa. A logística é da Rádio Alfa. Sozinha, nós, as Hirond’Ailes, não faríamos um evento com tanto impacto, nem com tanta visibilidade. E sem esquecer o apoio dos Amis du Plateau, que assaram castanhas, carne… partilhámos um momento convivial. Também houve comida realizada pelas Hirond’Ailes”.

A iniciativa deste ano vai permitir atingir um valor a rondar os 1.500 euros, isto tudo “graças ao facto das associações se unirem para uma justa causa”, sublinhou o animador da Rádio Alfa.

Vítor Santos lembrou que esta iniciativa da Hirond’Ailes se engloba em outras iniciativas. “O nome Lusotopithon é porque há um evento que se chama Lusotopia em Crosne no fim do mês de janeiro, princípio do mês de fevereiro. É um evento que tem a ver com a Lusofonia, que junta vários países. As bandeiras que foram realizadas no Lusotopithon, foram realizadas para o Lusotopia. É uma maneira de juntar várias pessoas em várias causas”, assumiu, antes de abordar um último assunto. “Não esquecer também que a Rádio Alfa é um ponto de recolha da Santa Casa da Misericórdia para bens alimentares. Todo o tipo de bens, são bem-vindos. É para isso também que serviu o Lusotopithon”, concluiu.

 

LusoJornal Artigos
Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 1 Voto
7.0
X