Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Comunidade

 

O Centro Cultural Raiano vai acolher esta quarta-feira, das 10h00 às 18h00, o I Fórum dos Gabinetes de Apoio aos Emigrantes e ao Investimento da Diáspora.

“É um evento destinado a municípios, comunidades intermunicipais, regiões autónomas, associações empresariais e de desenvolvimento”, e pretende “apresentar programas relevantes no apoio a emigrantes e/ou ao investimento da diáspora, bem como partilhar boas práticas municipais de valorização das Comunidades portuguesas residentes no estrangeiro em prol do desenvolvimento dos territórios” diz uma nota daquela instituição.

O programa deste I Encontro inclui a apresentação e formalização da Rede de Apoio ao Investidor da Diáspora, que liga serviços das diferentes áreas de governação, entidades regionais, municípios e associações de matriz empresarial, em especial da diáspora, que apoiam o investimento da diáspora e dispõem dos interlocutores, instrumentos e meios para o efeito.

Está prevista assim a assinatura de protocolo, formalizando esta rede que arranca com mais de 300 entidades entre municípios, comunidades intermunicipais, agências de investimento e associações de desenvolvimento.

“A constituição da rede é dinâmica, mantendo-se em expansão pelas entidades do ecossistema empreendedor português, bem como pelas associações empresariais da diáspora, com especial destaque para as Câmaras de Comércio e Indústria Portuguesas no estrangeiro” diz uma outra nota do Ministério dos Negócios Estrangeiros.

O Fórum conta com a apresentação de novos programas tais como: o “Contingente especial no acesso ao ensino superior para candidatos emigrantes portugueses, familiares que com eles residam e lusodescendentes”, alargado no ano letivo em curso, em mais de 1.000 cursos, em todas as Universidades e Institutos politécnicos públicos; as “Medidas de Apoio ao Regresso de Emigrantes Portugueses: Programa Regressar e Emprego Interior Mais” promovidos pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional; e ainda o “Acordo de Parceria Portugal 2030”, com antevisão dos seus programas com o objetivo de preparar os técnicos nas respostas aos empreendedores e investidores da diáspora.

Entre as medidas de apoio aos emigrantes e ao investimento da diáspora, serão ainda apresentados: o “Novo Modelo de Gestão Consular”, que pretende assegurar o serviço consular, em permanência, em qualquer parte do mundo, baseado na simplificação, desmaterialização e digitalização, tendo como missão simplificar o acesso ao pedido e processamento de diferentes atos consulares, através de aplicações inovadoras; o “Invest in Portugal”, que é a Plataforma Nacional para o Investimento promovida pela Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal; bem como a “Rede Global da Diáspora”, promovida pela Fundação AEP, que apresentará duas novas funcionalidades: o Portal de Negócios e a Diáspora Business Intelligence.

“Um dos objetivos do Fórum foca-se na partilha de boas práticas de valorização da diáspora em prol do desenvolvimento dos territórios” diz o MNE.

O Município de Idanha-a-Nova, anfitrião desta edição, apresentará as suas melhores práticas na atração de habitantes e investimento para o seu território.

Destaca-se ainda a intervenção prevista de Denise Henriques Quintela, investigadora da Universidade Nova de Lisboa e do ISCTE, com o tema “A importância da diáspora na construção de marcas-lugar”.

O Fórum contará com a presença do Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, Paulo Cafôfo, com intervenção na sessão de abertura, às 10h30, e da Secretária de Estado do Desenvolvimento Regional, Isabel Ferreira, a encerrar os trabalhos.

 

Donativos LusoJornal
X