Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

A Associação Portuguesa “Rosita” de Charvieu-Chavagneux (69), nos arredores de Lyon, criada em 1982, organizou no passado dia 10 de novembro, um jantar e um espetáculo musical para celebrar o encontro anual, que teve lugar na Sala de Festas da cidade de Charvieu-Chavagneux, tendo reunido mais de 350 pessoas.

O Cônsul-Geral de Portugal em Lyon, Luís Brito Câmara, foi convidado e também esteve presente o Mairie da cidade, Gérard Dezempte (em funções há 39 anos). O Cônsul-Geral recebeu do Presidente Sérgio Cordeiro uma Medalha da Associação, que agradeceu.

Luís Brito Câmara felicitou o Presidente Sérgio Cordeiro e toda a Direção e sublinhou “a importância das Comunidades portuguesas terem associações que continuam a ajudar os nossos compatriotas, que promovem iniciativas culturais e desportivas, que mantêm a língua portuguesa e congregam o que Portugal tem de melhor (convívio, amizade e música), para além de sedimentar e reforçar o bom relacionamento e amizade com a França”.

O Cônsul-Geral de Portugal salientou ainda que as Comunidades portuguesas em França “têm não só contribuído para o desenvolvimento económico e social da França, como têm conseguido honrar o nome de Portugal com a sua dedicação, trabalho e exemplo”.

A este propósito, reiterou mais uma vez a importância das Comunidades portuguesas serem apoiadas pelas autoridades francesas, como é o caso em Charvieu-Chavagneux, e agradeceu ao Maire pela sua amizade e esforços em valorizar e concretizar o excelente relacionamento entre a França e Portugal, “cujas ligações históricas e culturais são antigas”.

O Cônsul-Geral relembrou a data de 11 de novembro e o Armistício de 1918, que pôs fim à Grande Guerra, e em que Portugal participou com mais de 55.000 homens em 1917. Recordou o sacrifício de quase 12.000 homens (1.341 mortos, 4.626 feridos, 1.932 desaparecidos, 7.740 prisioneiros), que combateram para defender a França, que deram a sua vida pela França e por Portugal, designadamente na Batalha de La Lys, em abril de 1918. Salientou que a Grande Guerra sedimentou e reforçou a amizade entre a França e Portugal “no sacrifício dos seus filhos e de ambos os povos”, sendo que as Comunidades portuguesas em França “contribuem igualmente para reforçar as relações entre ambos os povos e países”.

A associação também participa sempre nos eventos da cidade, sociais ou festivos e o Maire sublinhou o “excelente relacionamento” que tem tido sempre com a Comunidade portuguesa desde que é Maire (1979), que considera “exemplar” e de que se congratula.

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 2 Votos
5.7
X