Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Jantar dos Sócios na associação Colombe de la Paix de Bron

LusoJornal / Jorge Campos LusoJornal / Jorge Campos LusoJornal / Jorge Campos LusoJornal / Jorge Campos LusoJornal / Jorge Campos

A associação portuguesa «Colombe de la Paix» de Bron (69), nos arredores de Lyon, organizou um «jantar de sócios» no sábado dia 21 de abril, nas salas da sede daquela coletividade, animado pelo espetáculo do ilusionista «Fakir Kirokaia».

Da ementa destaca-se a Feijoada à moda do Porto, que agradou à centena de pessoas que partilhou o jantar.

«Tinhamos este jantar agendado já há muito tempo, mas não sabiamos qual seria a animação e finalmente escolhemos este artista de circo. O público presente ficou muito contente» confirmou Isolina Santos.

Isolina Santos é Secretária da Direção e disse ao LusoJornal que o Festival de folclore da associação está previsto para o sábado, dia 7 de julho. «Já temos tudo preparado, com oito grupos de folclore, e participará também um grupo que virá da Suíça».

O grupo de folclore da associação chama-se «Flores de Portugal» e os dois responsáveis por esta atividade são Jorge Santos e Joaquim Corvas. O grupo ensaia todos os sábados à noite, a partir das 21h00 «até ficarmos cansados», garante Isolina Santos.

No sábado passado o grupo não ensaiou para poder participar no jantar de confraternização com os sócios da associação. Mas em maio tem uma saída agendada a Loreto Del Mar, de autocarro. «Seremos cinquenta pessoas» explicou Isolina Santos ao LusoJornal.

O Presidente da Direção é Paulo da Silva, o Vice Presidente é Alberto Moreira, a Secretária é Isolina Santos, o Vice Secretário é Francisco Moço, a Tesoureira é Sandra Alves e o Vice Tesoureiro é Paulo de Macedo.

«Fakir Kirokoia», o artista de circo que animou a noite, chama-se Ricardo Caster e é o proprietário do Ricardo Circus, em Guimarães, com capacidade para 400 pessoas. O circo tem estado inativo porque «metade do material está alugado, pois a crise não permitia o seu funcionamento».

«Não podia continuar porque as receitas não cobriam as despesas, e também porque não havia apoios. Então decidi fazer espetáculos pela Europa fora e hoje resido em Vallon, na França. Faço espetáculos de ilusionismo na Europa, quando sou solicitado, mas também tenho outra profissão, na construção, o que me permite de viver melhor» contou ao LusoJornal. «Tive todo o prazer de vir aqui a Bron. As pessoas foram muito simpáticas e tive um bom público».

Bron faz parte do grande Lyon e situa-se a este da cidade, onde desde os anos sessenta a Comunidade portuguesa – hoje muito numerosa – se fixou. Esta associação é uma das primeiras a ser fundada na região de Lyon.

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 3 Votos
3.9
X