Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Jéssica Ferreira, andebolista portuguesa do Handball Clermont Auvergne Métropole 63, fez o seu balanço de 2018 e confessou ao LusoJornal que quer subir de divisão.

A atleta portuguesa afirmou que ficou marcada, em 2018, pelas decisões pessoais que tomou e que lhe mudaram a vida. Para 2019, Jéssica Ferreira admitiu que deseja a subida à segunda divisão do Clermont, mas também abordou uma questão de paridade, pedindo o alargamento do número de seleções femininas nas fases finais de europeus e de mundiais, como já aconteceu com a vertente masculina.

 

O que mais a marcou em 2018?

O meu 2018 foi um ano de grandes decisões pessoalmente. Comecei a trabalhar em Portugal e a pagar contas. Depois foi o ano em que decidi dar o salto para fora do país para ser profissional neste desporto que tanto me apaixona.

 

O que espera a nível pessoal para 2019?

A nível coletivo espero atingir todos os objetivos propostos pelo clube: subir de divisão. A nível pessoal, prefiro deixar guardado para mim.

 

O que espera que possa mudar a nível mundial em 2019?

A nível mundial, e falando a nível desportivo, gostava que as fases finais de europeus e mundiais alargassem o número de Seleções como será feito para o masculino. Obviamente que esta mudança não será possível já neste ano, mas seria bom pensar já nisso.

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 3 Votos
9.1
X