Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Política

 

O social-democrata José Cesário, que recentemente reassumiu as funções de Coordenador do Secretariado nacional do PSD para as Comunidades portuguesas, considera que a burocracia é uma das principais dificuldades que os emigrantes enfrentam, principalmente em Portugal.

Em declarações à Lusa, a propósito das funções que voltou a assumir, 12 anos depois de as ter desempenhado, o antigo Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas afirma que a burocracia é uma das principais barreiras com que os emigrantes portugueses se deparam.

“A situação atual é difícil para os portugueses que cá vivem, mas ainda é mais difícil para os que cá não vivem, que vêm cá ocasionalmente e que num período muito curto têm de resolver problemas que às vezes nós não resolvemos durante todo o ano”, indicou.

E defendeu: “Temos de ir afirmando as nossas posições, propostas, soluções e temos de ser muito veementes na crítica e na denuncia do que não está bem e há muita coisa que não está bem, a começar pela burocracia”.

O antigo Secretário de Estado reconhece que “o partido está numa fase muito delicada, muito difícil”, após ter perdido um Deputado pelo círculo da emigração nas anteriores legislativas, contando apenas com um dos quatro eleitos. “Temos algumas estruturas desmobilizadas, o meu trabalho vai ser fundamentalmente reanimar o partido, restruturá-lo”, observou.

Igualmente retomado vai ser o Encontro de Verão das Comunidades Portuguesas que o PSD realiza em 18 de agosto, em Ourém. “Este encontro significa, desde logo, a retoma deste tipo de iniciativas. Durante os últimos quatro anos tivemos apenas um, em 2019, a propósito das iniciativas”, mas “era habitual fazer todos os anos”.

Para José Cesário, o encontro é “um sinal muito importante para as estruturas, para que comecem a discutir os problemas concretos das pessoas, para que voltem a fazer um debate com cada comunidade sobre os seus problemas”.

 

Donativos LusoJornal
X