Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Durante esta semana, rostos de artistas portugueses que viveram em Paris estão espalhados pela capital francesa, transformados em obras de arte urbana, no âmbito do projeto «La Rue», que começou a 22 de setembro e decorre até domingo.

As imagens são da autoria de Pedro Amaral e Ivo Bassanti, que assinam como Borderlovers e que foram convidados pelo Centro Cultural Camões em Paris para participar nesta iniciativa do Fórum dos Institutos Culturais Estrangeiros de Paris.

Pedro Amaral contou à Lusa que há intervenções espontâneas «com ‘stencils’ e cartazes”» e outras mais performativas, como a que fez em homenagem a Mário de Sá-Carneiro.

Também estão previstas ações «mais massivas e de colagem na parede» junto da casa onde viveu e trabalhou Maria Helena Vieira da Silva, perto de uma das muitas habitações onde morou Amadeo de Souza Cardoso e em frente ao restaurante português Comme à Lisbonne. Para todas, Pedro vai vestir um ‘kilt’ feito a partir de uma bandeira portuguesa e no qual imprimiu o rosto de Amadeo de Souza Cardoso, assim como um casaco com a cara de Costa Pinheiro.

Esta quarta-feira, na rampa de acesso ao Centro Pompidou, está uma exposição de várias pinturas, onde se vão poder ver representações de Amadeo de Souza Cardoso, Vieira da Silva e Mário de Sá-Carneiro, mas também José-Augusto França, Eduardo Prado Coelho, António Nobre, Mário Cesariny, Sérgio Godinho, Júlio Pomar, Costa Camelo, entre outros. São «homenagens simples» e «uma coisa que tinha mesmo de ser feita» diz Pedro Amaral.

É João Pinharanda, Diretor do Centro Cultural Camões em Paris, que está a coordenar a participação portuguesa no evento. «Temos a possibilidade de desenvolver o trabalho em duas direções inesperadas. Por um lado, a publicação de um livro que funcionará como um catálogo e que prolongará a vida das intervenções efémeras que são as intervenções da rua (…). Por outro, é a possibilidade de fazermos uma exposição ou várias exposições a partir do corpo de trabalho que é muito mais largo do que aquele que podemos por na rua», explicou.

O festival «La Rue» vai ainda contar com a participação de Lúcio Martins Faria, um português que há mais de 20 anos canta fado com timbre de saxofone no metro de Paris e que deverá tocar hoje aquando da exposição dos Borderlovers em frente ao Pompidou.

No programa da semana está também o Rancho de Cantadores de Paris, que é um grupo de cante alentejano composto por parisienses de várias nacionalidades, e um concerto de piano a quatro mãos da formação «20 Fingers», composta por João Vasco e Eduardo Jordão, com um repertório que vai da sonata clássica ao ‘ragtime’, do tango ao chorinho, «de Bach a Chico Buarque».

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 7 Votos
6.2
X