Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Uma exposição sobre a ciência de dez histórias infantis intemporais produzida pelo Pavilhão do Conhecimento é inaugurada no próximo dia 1 de outubro, na Cité des sciences et de l’industrie, em Paris, um dos mais conceituados centros de ciência europeus.

O evento vai contar com a presença de Rosália Vargas, Presidente da Ciência Viva.

“Era uma vez… Ciência para quem gosta de histórias” foi inteiramente produzida pelo Pavilhão do Conhecimento em colaboração com várias instituições de investigação de Portugal. Esteve aliás patente neste centro de ciência entre outubro de 2013 e setembro de 2014, com uma enorme adesão de público.

Depois desta data iniciou o seu percurso de itinerância pelo Instituto de Design de Guimarães e pelo Exploratório Centro Ciência Viva de Coimbra, chegando agora a Paris e ao mercado internacional.

A ciência está em todo o lado. Mas será que também a podemos encontrar no imaginário fantástico das histórias infantis? Nos castelos assombrados, na floresta labiríntica, na casa de chocolate de Hansel e Gretel, no espelho mágico da Bruxa Má ou num pé de feijão que cresce sem parar até tocar no nariz de um gigante?

Agora com o nome “Il était une fois – la science dans les contes”, a mostra centra-se em dez histórias que são verdadeiros clássicos: «Os Três Porquinhos», «Alice no País das Maravilhas», «O Capuchinho Vermelho», «Branca de Neve e os sete anões», «Hansel e Gretel», «A Gata Borralheira», «João e o Pé de Feijão», «Ali Babá e os 40 Ladrões», «As Aventuras do Pinóquio» ou ainda «A Princesa e a Ervilha».

A partir do imaginário mágico destes contos tradicionais são explorados vários fenómenos e conceitos das ciências naturais, como a Física, a Química, a Matemática, a Geologia e a Biologia, relacionando-os com o mundo real.

Será possível construir uma casa de palha que resista ao sopro do lobo? E uma máquina que desmascare as mentiras do Pinóquio? Porque tinha afinal o lobo uma boca tão grande? Conseguimos dar uma ajudinha à Hansel e ao Gretel para encontrar o caminho de volta para casa? Poderá o João ter uma pegada maior do que a do gigante? Teria a Branca de Neve um problema sério de despigmentação?

Perdermo-nos numa floresta é bem melhor do que nos perdermos no trânsito, especialmente se conseguirmos sentir o passar das quatro estações, os cheiros, as texturas das árvores. E ainda encontrar uma mão cheia de fábulas: um sapo que quer ser boi, uma cegonha prevenida para o mau feitio de uma raposa e uma tartaruga que não deixa que lhe dêem a volta.

Embora estas histórias intemporais pertençam ao imaginário coletivo mundial, a nova leitura proposta utiliza as lentes da ciência para aproximar crianças e adultos de alguns conceitos científicos, procurando surpreender.

Uma exposição alegre, divertida e irreverente, com um sentido de humor que agrada a crianças e adultos. Dirige-se a todos os níveis de ensino e está acessível a públicos com necessidades especiais.

 

Cité des Sciences et de l’Industrie

30 avenue Corentin-Cariou

75019 Paris

M° Porte de la Villette (7)

 

De 3 de outubro a 18 de novembro de 2018

De terça a sábado: das 10h00 às 18h00

Domingo até às 19h00

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 1 Voto
5.9
X