Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Política

 

A franco-cabo-verdiana Elisabeth Moreno, que foi, até às eleições Presidenciais Ministra da igualdade de género, da diversidade e da igualdade de chances de Emmanuel Macron, não entrou no Governo atual e era candidata do partido Ensemble! nas eleições legislativas, pelo 9° círculo eleitoral dos Franceses no estrangeiro.

Elisabeth Moreno não foi além dos 45,93% nesta segunda volta das eleições, deixando a festa da vitória para Karim Bem Cheïkh (Nupes) com 54,07% dos votos.

A candidata lusófona quase duplicou o número de votos entre as duas voltas da eleição, mas não conseguiu recuperar o atraso que tinha em relação ao seu concorrente.

A abstenção neste círculo eleitoral foi enorme, chegando a quase 82% e dos 120.553 inscritos, votaram apenas 21.844, ou seja 18,12%, valores próximos das eleições legislativas portuguesas para os Portugueses do estrangeiro.

Em 2020, Elisabeth Moreno foi uma das surpresas do novo Governo de Jean Castex, substituindo na pasta da igualdade de género a mediática Marlène Schiappa.

Até essa altura, Elisabeth Moreno era a Diretora Geral da Hewlett Packard (HP) para a África e vivia em Joanesburgo, na África do Sul. Antes, passou pela Orange e pela Dell e foi Presidente Diretora Geral (PDG) da Lenovo France.

“Za”, como é familiarmente conhecida, nasceu em Casa Choca, um aglomerado de casas que já não existe, perto do Tarrafal, na ilha de Santiago. Veio para Paris com apenas 7 anos de idade.

 

Donativos LusoJornal
X