Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Les Délices d’Olympe é o novo restaurante de Olímpia Garnacho, em Deuil-la-Barre (95). O restaurante está no club-house do único clube de ténis privado daquela região, com mais de 70 anos de existência, com esplanada e vista para Paris.

Olímpia Garnacho era Chef a domicílio. “Sempre gostei de cozinhar para a família e para amigos. Trabalhei dois anos num restaurante, mas depois continuei como Chef a domicílio. Era a minha atividade principal, embora me tivesse lançado também na organização de eventos, casamentos, batizados, festas de anos, festas de família e de empresas” conta ao LusoJornal.

Agora decidiu instalar-se num restaurante. “Chef a domicílio é bom, mas é muito cansativo, porque é necessário estar sempre a carregar e a descarregar carrinhas e é necessário ter muito cuidado com o transporte dos alimentos”. E acrescenta mesmo que “cada vez é mais difícil encontrar pessoal qualificado”.

Mas a instalação neste restaurante surge também de uma outra oportunidade. “O meu filho tinha de mudar de trabalho e decidimos pegar neste restaurante os dois”.

Johnny Garnacho era manager na sala de poker de um casino. “Fiz esse trabalho durante cerca de 10 anos. Aprendi muito e estava em relação com muita gente” conta ao LusoJornal, “mas trabalhar de noite com filhos não dá, então optei por uma nova aventura”.

“Eu nascei aqui, vivo a 10 minutos do restaurante, conheço aqui toda a gente. Desde que tenho 20 anos que queria abrir um restaurante. A vida mandou-me para outras vias, mas agora estou a concretizar esse sonho” diz Johnny Garnacho.

Quando Olímpia e Johnny Garnacho visitaram o restaurante e o quadro onde se insere, ficaram “encantados”. Consideraram que o espaço se adaptava perfeitamente aos dois. “Mas havia mais três casais que também queriam este espaço. Fomos embora dececionados porque nunca pensámos que fosse para nós” conta Olímpia Garnacho. “Quando tivemos o telefonema, ficámos muito emocionados”.

O restaurante é um autêntico oásis paradisíaco. O edifício é simples e está marcado pelos cerca de 70 anos, mas tem um quadro impressionante, com árvores, com uma esplanada sobre os campos de ténis, uma piscina e uma vista fabulosa para Paris.

“Quem vem aqui, parece que o tempo para. É um quadro com muita calma, aqui não há comércio, não há poluição, nem trânsito, aqui respira-se” confirma Johnny que se ocupa essencialmente da sala. Os clientes são notários, advogados, autarcas, bancários, “gente que conhece e que vem aqui para comer com calma. Podem comer em 45 minutos, mas esta clientela vem cá para falar calmamente de negócios e fica cá mais tempo”. Mas Olímpia Garnacho diz que também tem clientela mais simples, até porque o restaurante não é caro.

“A minha mãe tem uma boa reputação na região” diz Johnny Garnacho entre dois clientes, enquanto Olímpia Garnacho trabalha na cozinha.

No Délices d’Olympe não há ementas. “Temos uma lousa onde escrevemos os pratos, mas mudamos todos os dias, porque queremos ter produtos frescos” conta Johnny Garnacho. “Temos sempre um prato de peixe, um prato de carne e um prato vegetariano.

Olímpia Garnacho saiu de Mogadouro com apenas 13 anos. “Foi muito difícil” diz com as lágrimas nos olhos. “Desculpe, quando falo em Mogadouro fico emocionada”. Por isso, não é de estranhar que queira introduzir pratos portugueses na ementa. “Sou 100% portuguesa e sinto-me muito bem em França, mas nunca deixarei de fazer cozinha portuguesa. Quero precisamente mostrar aos franceses que temos bons pratos portugueses”.

“Com esta clientela que temos, se os quiser guardar, tenho de manter uma gastronomia francesa, é verdade, mas já comecei a servir uma Feijoada, uma Carne de porco à alentejana, uma Posta mirandesa, amanhã tenho Bacalhau à Braz, vamos fazendo aos poucos”.

Na esplanada há sol todo o dia, garantem, por isso, desde que não chova, há lugar para 80 pessoas. Mais abaixo, há quem prefira jogar ténis. “O clube é privado, mas o restaurante está aberto a toda a gente” garante Olímpia Garnacho. “E tem um parque de estacionamento” insiste. A piscina é que por agora está fechada.

Na sala apenas podem almoçar 50 pessoas. “É pequeno, mas é o ideal para nós”. Para já só está aberto ao meio dia. “Mas à noite temos por vezes reservas para grupos, por exemplo reuniões de associações ou de empresas”. À sexta-feira e ao sábado, abre também à noite. “E nestes momentos, gostava de acolher um público mais português” espera a nova gestora do espaço.

 

Les Délices d’Olympe

49 ruelle des Martinets

95170 Deuil-la-Barre

Infos: 01.39.83.46.40

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 8 Votos
7.9
X