Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Um golo do avançado português Gonçalo Guedes permitiu à Seleção Portuguesa de futebol conquistar a primeira edição da Liga das Nações, com um triunfo por 1-0 na final com a Holanda, no Estádio do Dragão, no Porto.

O jogador do Valência, antigo avançado do Paris Saint Germain, que substituiu no ‘onze’ João Félix em relação às meias-finais, resolveu o encontro aos 60 minutos, com um remate à entrada da área, após um passe de Bernardo Silva.

O conjunto das ‘quinas’ arrebatou o segundo título internacional da sua história, depois do campeonato da Europa de 2016, então numa final com a anfitriã França (1-0, após prolongamento), graças a um golo de Éder.

De notar que dois ‘Franceses’ foram titulares e participaram na conquista do título: o defesa-central José Fonte, que atua no Lille em França, e o lusodescendente Raphaël Guerreiro, que joga no Borussia Dortmund.

No fim do encontro José Fonte estava feliz: «Importantíssimo dar este presente a todo o país, aos nossos adeptos. Mais um troféu para o nosso museu. Esperemos que continuemos assim por muitos mais anos. Podia ter feito dois golos, na verdade, mas o importante foi vencer. Ganhar este troféu e dar este presente a todos nós», sublinhou o defesa-central.

Bernardo Silva foi considerado o melhor jogador da primeira edição da Liga das Nações de futebol, depois de Portugal vencer a Holanda por 1-0, na final, enquanto Frenkie de Jong recebeu o prémio de melhor jovem.

Os galardões foram anunciados antes do troféu ser entregue à seleção portuguesa, que viu também Cristiano Ronaldo ser consagrado como o melhor marcador da fase final, com três golos, e Rúben Dias eleito o homem do jogo da final.

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 3 Votos
7.3
X