Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Livro de Daniel Bastos sobre Comunidades foi apresentado no Consulado português em Paris

LusoJornal | Mário Cantarinha LusoJornal | Mário Cantarinha LusoJornal | Mário Cantarinha LusoJornal | Mário Cantarinha LusoJornal | Mário Cantarinha LusoJornal | Mário Cantarinha
Cultura

 

Na quinta-feira, dia 6 de outubro, no Consulado Geral de Portugal em Paris, foi apresentado o livro “Crónicas – Comunidades, Emigração e Lusofonia”, do historiador Daniel Bastos, que já vai na segunda edição da obra, revista e aumentada, reunindo as crónicas que o autor tem escrito nos últimos anos na imprensa de língua portuguesa no mundo.

A sessão teve lugar no salão Eça de Queirós, do Consulado português, que encheu. As honras da casa foram feitas pelo Cônsul-Geral Adjunto, Filipe Ortigão, na ausência do Cônsul-Geral. O livro foi comentado por Paulo Pisco, Deputado eleito pelo círculo eleitoral da Europa, porque, segundo Daniel Bastos “é a pessoa que seguramente melhor conhece as Comunidade portuguesas”. Na mesa estavam também os empresários luso-franceses, Manuel Pinto Lopes, também ele de Fafe, e Natália Martins, da Pastelaria Belém.

O livro já teve várias apresentações em Portugal e esta apresentação em Paris deu o pontapé de saída para uma série de apresentações no estrangeiro. “A primeira apresentação de um livro que eu fiz no estrangeiro, há mais de 10 anos, foi precisamente aqui. Foi aqui que eu iniciei esta aventura de contacto e de proximidade com as Comunidades portuguesas” disse o autor.

Paulo Pisco destacou o livro como “um trabalho extraordinário que compila pedaços dispersos da memória dos Portugueses no mundo”. Segundo o Deputado, Daniel Bastos tem contribuído ao longo dos últimos anos para “a valorização e dignificação da emigração portuguesa, uma força transformadora com enorme potencial económico, cultural, político e linguístico”.

“Uma coisa é quando lemos uma crónica individualmente, a outra é quando as lemos todas em livro, umas no seguimento das outras, e reflete uma forma de pensar, uma forma de ver o mundo, uma forma de ver particularmente aquilo que Daniel Bastos aqui designa como as nossas Comunidades e a emigração”

Nesta segunda edição da obra, composta por mais de duas centenas de crónicas, e prefaciada pelo advogado e comentador Luís Marques Mendes, o escritor e historiador revela o empreendedorismo, as contrariedades, a resiliência e a solidariedade das comunidades portuguesas, a riqueza do seu movimento associativo, e as enormes potencialidades culturais, económicas e políticas que as mesmas representam nas pátrias de acolhimento e de origem.

Refira-se que ao longo deste e do próximo ano, estão previstas várias sessões de apresentação do livro, cuja capa é assinada pelo Mestre-pintor Orlando Pompeu, junto das Comunidades portuguesas. E que a segunda edição da obra deveu-se ao mecenato de empresas e instituições da diáspora que partilham uma visão de responsabilidade social e um papel de apoio à cultura.

Historiador, professor e autor de vários livros que retratam a história da emigração portuguesa, Daniel Bastos é atualmente consultor do Museu das Migrações e das Comunidades, sediado em Fafe, e da rede museológica virtual das Comunidades portuguesas, instituída pela Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas.

 

Donativos LusoJornal
X