Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Há 15 anos, quando foi lançado o projeto do LusoJornal muitos pensavam que, à imagem do que tinha acontecido com outros títulos, a sua vida seria curta e este projeto, por mais ambicioso que fosse, estava destinado ao insucesso.

Todos sabemos que o mundo da comunicação social na área das Comunidades portuguesas conheceu e conhece muitos exemplos de projetos efémeros pois é extremamente difícil fazer vingar, no tempo, este tipo de publicações.

Todos concordam, ou pelo menos deviam concordar, que é fundamental para uma Comunidade residente no estrangeiro ter, não apenas informação específica sobre a sua vida, mas sobretudo um jornal que lhe permita dar a conhecer a sua realidade, a sua vivência e as suas atividades.

Acresce que num país como a França em que muitos dizem que a nossa Comunidade é pouco visível, um órgão de comunicação social como o LusoJornal assume-se como um vetor fundamental para inverter essa realidade.

No plano pessoal, é meu dever reconhecer que o meu trabalho político como parlamentar ou como dirigente de uma estrutura política no estrangeiro beneficiou da divulgação, da análise e da crítica do LusoJornal para que o mesmo chegasse à população.

Para além destes considerandos, é interessante verificar que hoje a leitura do LusoJornal quer no formato papel quer no formato digital, tornou-se um hábito dos Portugueses que residem em França. Uma rotina que acabou por alterar a própria forma como muitos destes Portugueses entendiam a realidade da sua Comunidade.

Assim, no momento em que o LusoJornal celebra 15 anos, é fundamental que todos nós tenhamos consciência da importância e do papel que este órgão de comunicação social teve, tem e espero que continue a ter no futuro.

Não podemos estar sempre a lembrar que somos um milhão e meio de nacionais a residir em França, que temos uma rede empresarial franco-portuguesa de uma dimensão notável, que alcançamos um peso político que nos permite ter cerca de quatro mil eleitos de origem portuguesa e depois verificar que temos dificuldade em manter vivo um projeto que é essencial para todos os setores da vida da nossa Comunidade.

Já tive oportunidade de referir que a leitura do LusoJornal se tornou uma rotina. Muitas vezes, aqueles que leem as notícias que nele são publicadas não se apercebem de tudo o que é necessário para que um projeto como este esteja na rua todas as semanas. Como é habitual nas rotinas, só quando, por alguma razão as perdemos, é que nos apercebemos da importância que elas tinham nas nossas vidas.

Assim, considero que a sociedade deve acarinhar este projeto de comunicação social e mais do que estar a dar os parabéns ao jornal, prefiro enviar votos de muito sucesso no futuro, para bem dos seus leitores e, principalmente, para bem da Comunidade portuguesa em França.

 

Carlos Gonçalves

Deputado do PSD, eleito pelo círculo eleitoral das Comunidades na Europa

 

Linda de Suza 19/20
Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 18 Votos
7.0
X