Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Mais de 12.000 pessoas na Jornada de Portugal no Hipódromo de Vincennes

LusoJornal | Mário Cantarinha LusoJornal | Mário Cantarinha LusoJornal | Mário Cantarinha LusoJornal | Mário Cantarinha LusoJornal | Mário Cantarinha LusoJornal | Mário Cantarinha LusoJornal | Mário Cantarinha LusoJornal | Mário Cantarinha LusoJornal | Mário Cantarinha LusoJornal | Mário Cantarinha LusoJornal | Mário Cantarinha LusoJornal | Mário Cantarinha
Comunidade

 

Mais de 12.000 pessoas assistiram no domingo passado a mais uma Jornada de Portugal no Hipódromo de Vincennes, depois de dois anos de ausência por razões evidentes de pandemia de Covid-19. Esta 10ª edição do evento que já se tornou numa instituição, voltou a programar corridas, mas também muitas animações gratuitas, música e gastronomia.

No total foram organizadas 9 corridas. Este ano, o PMU foi o parceiro oficial da Jornada de Portugal. Por isso, os projetores foram para três parceiros PMU muito particulares, com uma corrida com o nome deles: trata-se do Prémio PMU – L’Etincelle de Villemomble, cujo proprietário é Daniel Caseiro, do Prémio PMU – O’Felgueiras de St Ouen L’Aumone, de Carlos Miguel da Costa Andrade e do Prémio PMU – SLB Benfica d’Antony de José Carlos de Melo Rua. Houve também a Corrida Rádio Alfa, a Corrida dos Açores, a Corrida Frantugal TV e a Grande Corrida de Portugal.

No interior do hipódromo, na Grande Hall, voltou a ser organizada uma “Aldeia gastronómica” onde não faltaram os pastéis de nata, os bolos de bacalhau e até pratos de Bacalhau à Brás. Lá em cima, com grande visibilidade para a pista, houve quem escolhesse almoçar no restaurante panorâmico para não perder nenhuma corrida.

A animação foi grande, com a participação de grupos de folclore, mas também com a presença da Banda Filarmónica Portuguesa de Paris. Para os mais pequenos houve passeios de póneis, carrosséis e até visitas aos estábulos.

 

Donativos LusoJornal
X