Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Último dos três dias do MaMA Festival com três concertos portugueses (!) em Paris. O primeiro concerto vai decorrer pelas 20h15 no Backstage By The Mill com o grupo PAUS composto por quatro elementos: Fábio Jevelim – sintetizador, Hélio Morais – bateria, Joaquim Albergaria – bateria, e Makoto Yagyu – baixo.

O LusoJornal falou com o grupo que, além de reiterar a importância de atuar no Festival, lembrou que foi sempre muito bem recebido em França.

Como surgiu esse convite para o MaMA Festival?

Surgiu do facto de haver uma relação prévia (já tocámos no festival), bem como da conexão MaMA/MIL/Portugal Muito Maior.

O que representa estar presente neste Festival francês?

Representa uma oportunidade de chegar a outros ouvidos. Durante o ano fazemos o nosso circuito normal de concertos, mas é importante poder estar em festivais com esta matriz, festivais esses que nos permitem reforçar contactos já existentes na indústria, mas também criar novos laços.

França é um terreno comercial interessante ? Quer para concertos, eventos e vendas de discos?

Temos andado a tocar frequentemente em França, desde 2014. E temos sido muito bem recebidos. É um mercado bem estruturado, com uma rede de espetáculos ativa e a olhar para todos os ângulos e propostas.

Se tivéssemos de descrever PAUS, o que poderíamos dizer ?

Os PAUS são uma banda com dificuldade em se encaixar numa caixa. Há África, há Sul da América, há Portugal e há muita influência de rock anglo-saxónico. É rock, mas sem guitarras. É prog, mas com canções. É África, mas com distorção. Ou seja, é ver ao vivo e escutar.

Uma mensagem para o público lusófono para estar presente no vosso concerto ?

Temos um disco prestes a ser editado – dia 25 de outubro – e tocaremos algumas canções novas. Sabe sempre bem relembrar a língua natal, venham daí.

PAUS

Backstage By The Mill

92 Boulevard de Clichy

75018 Paris

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 1 Voto
9.2
X