Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Já está disponível em Portugal, e brevemente em Paris, o primeiro romance de Manuel do Nascimento, «Nem tudo acontece por acaso», editado pelas Edições Colibri, Faculdade de Letras de Lisboa.

Numa viagem a Lisboa, o narrador – através de uma conversa de um sábio mendigo lisboeta com uma senhora loira, numa esplanada de um café – vai encontrar a chave de um mistério familiar ‘antiquíssimo’ – um século – e transporta-nos em estórias que vão dos tempos mais antigos até aos nossos dias.

O romance aborda questões como as duas Guerras mundiais, as Guerras da África portuguesa, o Estado Novo («48 anos onde o relógio parece ter parado em Portugal»), fala numa ordem social em que «os ricos tinham todas as licenças e os pobres todas as multas», assim como da emigração de sonho («muitos deles tinham pensado ter deixado a miséria em Portugal, mas foram encontrar uma outra nos países de acolhimento»). Fala das lendas, das tradições, dos jardins, dos miradouros lisboetas, do 25 de Abril de 1974, e de uma viagem pela cidade de Lisboa.

Manuel do Nascimento, nasceu em Portugal e está radicado em Paris desde 1970. Desde jovem que é um apaixonado por História, o que fez com que em terras gaulesas começasse a escrever vários livros em português e em francês para promover a história de Portugal além-fronteiras.

«É um livro que recorda também o que ‘pouca gente’ sabe, ou já esqueceu» diz Manuel do Nascimento ao LusoJornal.

As páginas deste romance são uma narração simples, sem estridências intelectualizantes. «Acreditar que toda a história está carregada de estórias, que o conhecimento faz os homens sábios e a humildade faz os grandes homens. Sabendo, no entanto, que é sempre possível aliar as duas. Foi o que fiz» garante ao LusoJornal. «Nestas páginas deixo palavras soltas das minhas últimas férias ao país que me viu nascer, transportando na minha mente estórias da terra que me recebeu. Aqui deixo conhecimento, sentimentos, emoções e saudade. Principalmente saudade».

Manuel do Nascimento dedica o livro a todos os amigos «que de longe ou de perto me incentivaram a realizar este trabalho».

Editora Colibri tem regularmente todos os seus títulos na Livraria Colibri (FCSH – Universidade Nova de Lisboa, avenida de Berna, 26-C, Lisboa), assim como na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (Loja Azuletras) e na Livraria Lello (rua do Carmo, em Lisboa).

 

Manuel do Nascimento já publicou:

«L’Histoire du Portugal – Une Chronologie» (Paris, 2016)

«La Première Guerre mondiale (Centenaire 1914-2014) et la main-d’œuvre portugaise à la demande de l’État français» (Paris, 2014)

«História de Portugal – Uma Cronologia» em três volumes (Lisboa, 2013)

«D. Afonso Henriques – Assim Nasceu Portugal» (Leiria, 2012)

«Troisième Invasion Napoléonienne au Portugal – Bicentenaire (1810-2010)» (Paris, 2010)

«A Revolução dos Cravos em Portugal – Cronologia de um combate pacífico» (Paris, 2008)

«La Bataille de La Lys – 9 avril 1918 – Dever de memória» (Paris, 2008)

«En Lutte contre l’État salazariste – Une certaine idée du Portugal – Norton de Matos» (Paris, 2007)

«Chronologie de l’Histoire du Portugal» (Paris, 2001)

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 6 Votos
5.5
X