Marc Tomé: um artista completo

Donativos LusoJornal

 

Marc Tomé é artista, produtor, poeta, autor e compositor, pseudónimo de Marco Filipe, natural das Caldas da Rainha e radicado em Paris.

Tudo começou em 2002, na altura a frequentar o Curso técnico de hotelaria, receção e atendimento, na Escola profissional de Rio Maior, onde tinha por hábito apresentar poemas à professora de português, Elsa Sequeira, que no final do ano letivo o incentivou a editar o primeiro livro, com o apoio da escola, intitulado, “Alma Nua”.

A convite do professor Feliciano Júnior, antigo Diretor do jornal Região de Rio Maior, ingressou no Clube dos poetas da região de Rio Maior e no Clube dos poetas do Ribatejo.

Em 2009, com o apoio da Câmara municipal de Rio Maior, edita o seu segundo livro de poemas, “Despido”, na Biblioteca Laureano Santos de Rio Maior, onde os poemas ganharam vida com a interpretação dos “dizeres” locais.

O despertar para a música deu-se em 2013, quando se mudou para Paris e onde teve a oportunidade de se cruzar com uma das suas maiores influências, Suzanne Vega, da qual tiveram uma breve conversa. Recebeu até um CD exclusivo das mãos da própria, até então ainda não editado oficialmente. Em retribuição, ofereceu-lhe os seus livros de poesia.

Motivado pelo estilo dos artistas como Boris Vian e Serge Gainsbourg, começou a desenvolver as primeiras maquetes, a se aprofundar na área musical e a frequentar aulas de interpretação. “O objetivo de fazer música é o de expressar as minhas emoções individuais, uma vez que todos os meus textos contam histórias que vivi ou presenciei”.

O primeiro tema musical foi em francês, intitulado “Dis-moi”, com um texto muito simples e chegou a ser apresentado na rádio Alfa.

Mas foi em 2016 que as coisas começaram a tomar forma, após o contacto e colaboração com o label Hip Music Production, do músico e produtor musical Fabio Deldongo.

Da colaboração surgiu “I will kill this love”, um tema que mistura o português, francês e inglês, pela primeira vez sob o pseudónimo Marc Tomé.

Com este tema, recebeu o convite para o apresentar na rádio Arc-en-Ciel e concorreu também aos prémios NRJ Summer Talent de 2017.

No mesmo ano surge “Maldito Amor”, tema na íntegra em português, com uma sonoridade pop/electro, alcançado mais de 200 mil visualizações no Facebook e Youtube.

Em 2018, edita “Romance selvagem”, superando o número de acessos do anterior, e esteve em destaque na Rádio Club Portugal, na Gazeta das Caldas, no Jornal das Caldas e no Região de Rio Maior, chegando a entrar para diversos Top10, inclusivamente no do programa Raízes da Rádio Pluriel.

Em 2019 começa a preparar o primeiro EP, todo em inglês, intitulado “Love is a dance”, que saiu oficialmente no início de 2020. Deste EP fazem parte quatro temas: “Like an angel, like a fairy”, “Big dance”, “Love kiss” e “Love is a liar”.

Dois dos temas foram apresentados no canal de televisão francês, IDF1, no programa JLPP.

Durante o primeiro confinamento, em março de 2020, Marc Tomé começou uma nova colaboração, à distância devido às circunstâncias, com o produtor e músico inglês Joshua Hudes, da qual nasceram dois temas: “From love to zee” e “Kiss me hard”.

“Kiss me hard” atingiu o número 1 num programa da Rádio Valley FM, na Austrália e na Rádio Club Portugal.

Para além de escrever as suas próprias letras, já escreveu também para outros intérpretes, como por exemplo Nelson Lennos (“A vida é linda” e “Vou chamar amor”) e Dan Tibério (“Invitation for love”).

As músicas de Marc Tomé passam em destaque na Valley FM, Austrália, na Lonely Oak Radio, nos Estados Unidos, na Rádio Club Portugal, na Rádio Benedita FM e na Setúbal FM, entre outras.

No futuro, Marc Tomé pretende continuar a se expressar com palavras, quer seja em música ou em poesia, ou mesmo escrevendo o gião para um filme.

Marc Tomé é responsável por toda a produção executiva dos seus temas, das letras, da composição musical de alguns dos títulos, da distribuição e do visual gráfico dos seus trabalhos.

As músicas podem ser adquiridas e/ou ouvidas em todas as plataformas digitais, mas também em formato CD, unicamente na amazon.com

 

Ouvir AQUI.

 

Cultura