Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

A marca nacional Ernest W. Baker, cofundada pela dupla Inês Amorim e Reid Baker, vai desfilar no calendário oficial da Semana de Moda de Paris que este ano se vai realizar entre 9 e 13 de julho, sobretudo em meio digital.

“Para nós é aquilo que sempre trabalhámos para conseguir, porque é uma audiência muito grande. Toda a indústria mundial de moda vê e está atenta a Paris”, afirmou Inês Amorim, em declarações à Lusa.

Devido à pandemia de Covid-19, esta Semana da Moda de Homem primavera/verão 2021 será atípica, com grande parte dos desfiles a acontecer na internet.

Esta é a primeira vez que uma marca nacional chega ao calendário oficial deste evento, indo além de manifestações paralelas, desfilando ao lado de marcas como Louis Vuitton, Ungaro ou Hermès, destacam os responsáveis. A dupla optou por uma apresentação vídeo para a estreia.

“Está aberto a cada marca decidir o que vai fazer e como apresentar. Pode ser através de desfile ou apresentação. Nós decidimos fazer um vídeo com relação à marca, à cidade onde vivemos, Viana do Castelo, e, claro, com a nossa coleção”, indicou a criadora.

A apresentação vai decorrer às 11h00 da manhã do dia 10 de julho, e deverá ser difundida no site da Semana da Moda, estando depois disponível noutras plataformas.

No entanto, esta presença digital é “diferente” da presença física. “Claro que é diferente não estar com as pessoas e não ver a reação à coleção. É diferente de um desfile. Mas temos de agarrar as oportunidades e fazer desta forma e tentar criar outro tipo de conteúdo, abrindo ao máximo a nossa criatividade”, explicou Inês Amorim.

A coleção da marca nacional inspirou-se nas famílias dos dois criadores, tendo um tom “infantil” e “naïve”, com cores suaves.

Tal como os desfiles, os ‘showrooms’, onde os criadores entram em contacto com os compradores de todo o Mundo, também se vão fazer em linha, algo que levou a Ernest W. Baker a tentar representar “ao máximo” as suas peças através de fotografias da coleção.

Apesar do período de confinamento, a marca continuou a trabalhar na sua coleção completamente feita em Portugal, com algumas fábricas a permanecerem abertas, e até agora não foi afetada pela pandemia. “As nossas vendas são feitas, na maior parte, em lojas e algumas fecharam. Mas estamos já a enviar a coleção de inverno e não tivemos encomendas canceladas. Os nossos maiores mercados são Japão, Itália, Estados Unidos”, concluiu Inês Amorim.

Em 2018, a Ernest W. Baker ficou entre os 20 semifinalistas dos Prémios LVMH (grupo francês que inclui marcas como Louis Vuitton, Céline e Christian Dior).

 

Empresas
X