Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, enviou na sexta-feira uma mensagem de condolências ao seu homologo francês, Emmanuel Macron, pela morte da antiga Presidente do Parlamento Europeu e ex-Ministra francesa Nicole Fontaine.

«Foi com tristeza que tomei conhecimento do falecimento de Nicole Fontaine, antiga Presidente do Parlamento Europeu e Ministra da Indústria de França. Foi Deputada europeia durante quase vinte anos, construindo uma sólida reputação como construtora de compromissos, concitando apoios em todo o espetro partidário do hemiciclo de Estrasburgo, sempre com um sorriso, conciliadora, mas com uma firme determinação», refere a mensagem assinada por Marcelo Rebelo Sousa, divulgada no sítio oficial da Presidência da República.

O Presidente da República referiu que está certo que a «sua longa luta em defesa do projeto europeu» não será esquecida.

«Através de Vossa Excelência, transmito as minhas condolências à família de Nicole Fontaine, extensivas a todo o povo francês», frisou.

Nicole Fontaine morreu na quinta-feira aos 76 anos, indicou na sexta-feira o ex-Ministro Dominique Bussereau, seu colega de Governo.

Advogada e responsável do ensino católico, a eurodeputada durante 18 anos, entre 1984 e 2002, foi eleita em 1999 para presidir ao Parlamento Europeu, derrotando o candidato português ao cargo, Mário Soares, e aí se manteve até 2002.

Nicole Fontaine, nascida em Grainville-Ymauville (Normandia), foi a segunda mulher francesa a presidir à instituição europeia, depois de Simone Veil, uma das figuras mais respeitadas de França, que ocupou o cargo entre 1979 e 1982.

Tornou-se, em seguida, Ministra da Indústria (2002-2004) do Governo de centro-direita de Jean-Pierre Raffarin, sob a Presidência de Jacques Chirac.

Uma fervorosa defensora da União Europeia, depois do referendo que decidiu a saída do Reino Unido do clube comunitário, em junho de 2016, publicou um livro, com o jornalista François Poulet-Mathis, intitulado «Brexit: Uma oportunidade? Repensar a Europa».

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 3 Votos
5.7
X