Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Desporto

 

 

O piloto português Miguel Oliveira (KTM) desistiu ontem do Grande Prémio de França de MotoGP, sétima prova da temporada, devido a uma queda sofrida a três voltas do final, quando era nono classificado.

No final do primeiro terço da época o piloto de Almada arrancou na 17ª posição depois de uma série de sessões de treinos marcadas por algumas dificuldades técnicas e duas quedas logo na manhã de sexta-feira.

Com mais de uma centena de milhar de espectadores a assistir ao vivo, após o arranque Miguel Oliveira rapidamente começou a ganhar posições e com o acumular das voltas entrou mesmo no lote dos dez primeiros, lutando inclusivamente pelo oitavo posto – que chegou a ocupar – após uma fantástica recuperação que terminou prematuramente a três voltas do fim, e de forma inesperada, quando o piloto da KTM sofreu uma queda na Curva 3 que o deixou fora de prova.

“O fim de semana não começou bem, não sabia o que esperar depois de FP2, mas penso que foi também um daqueles onde mais melhorámos. A corrida foi dura, tal como esperávamos, mas lutámos e conseguimos ganhar posições. Estávamos entre os dez primeiros mas caí na Curva 3 e sinceramente não consigo explicar o que aconteceu porque não fiz nada de diferente face ás voltas anteriores” diz o piloto. “É uma grande deceção não terminar uma corrida quando estamos tão perto do final e em especial quando estamos perto de um bom resultado”.

A prova foi ganha pelo italiano Enea Bastianini (Ducati), que deixou o australiano Jack Miller (Ducati) na segunda posição, a 2,718 segundos, e o espanhol Aleix Espargaró (Aprilia) na terceiro, a 4,182.

O francês Fábio Quartararo (Yamaha), que foi quarto, mantém a liderança do campeonato, com 102 pontos.

Miguel Oliveira deixa assim Le Mans já a pensar no próximo duelo, a realizar no final deste mês de maio no carismático circuito italiano de Mugello em Itália. “Temos que ir para Mugello com mentalidade positiva e dar o nosso melhor”.

 

Donativos LusoJornal

 

X