Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Sexta-feira, dia 23 de novembro, às 21h00, os músicos brasileiros Guinga e Márcio Faraco darão um concerto na sala New Morning em Paris.

Para Guinga, apesar da sua notoriedade internacional e uma carreira já longa, este será o seu primeiro concerto em Paris. Guinga tem 68 anos e para além de compositor e guitarrista, é considerado pelos seus pares como um génio da composição, um prodígio da harmonia em guitarra e uma fonte de inspiração para muitos músicos. Sérgio Mendes descreve-o da seguinte forma: “é como se Villa-Lobos encontrasse Cole Porter”. A organização do concerto descreve-o como “o filho rebelde de Villa Lobos, Tom Jobim e Duke Ellington, (…) uma ponte singular entre a música erudita e a música popular”.

As suas canções foram gravadas por cantoras como Elis Regina, Maria João, Esperanza Spalding, Leila Pinheiro, Paula Santoro, Mônica Salmaso entre outras. Vários compositores e arranjadores como Sergio Mendes ou Michel Legrand interpretaram as suas obras com uma orquestra sinfónica ou em versão para discoteca.

Nas suas músicas cantadas Guinga colaborou com alguns dos melhores letristas como Paulo César Pinheiro, parceiro de Baden Powell, Aldir Blanc, que escreveu com João Bosco ou ainda Chico Buarque.

Este concerto é a oportunidade para mostrar ao público em França o seu álbum estreado na Europa “Roendopinho” da editora Acoustic Music Records.

Márcio Faraco, nascido no Brasil em 1963, em contrapartida, já deu vários concertos em França, tendo atuado no New Morning já por diversas vezes. Virá desta vez apresentar alguns dos títulos do seu novo álbum em preparação e também os seus sucessos. É um guitarrista reconhecido, um compositor criativo e um cantor.

Instalou-se na Europa em 1992, vive atualmente em Paris e está frequentemente em tournée pelo mundo fora, tanto em França como em outros países europeus, como no Japão, nos Estados Unidos ou no Canadá. O seu talento foi reconhecido em 2000 através do seu primeiro álbum «Ciranda» da Universal Jazz. Agora já com sete álbuns na sua discografia continua uma carreira musical coerente em que textos e melodias caminham entre o samba e a bossa nova passando pelo Jazz.

O New Morning é uma das salas de Jazz de maior renome internacional, inaugurada a 16 de abril de 1981, já viu passar pelo seu palco nomes como Dizzi Gillespie, Art Blakey, Miles Davis, Chet Baker, Gil Scott Heron ou Prince.

 

New Morning

7 & 9 rue des Petites Ecuries

75010 Paris

 

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 1 Voto
9.0
X