Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

No âmbito dos 500 anos da cidade e do porto de Le Havre, em França, cerca de 30 veleiros, os maiores du mundo, estarão atracados naquele porto e metade dos quais abertos ao público. O Navio Escola Sagres, considerado «o mais belo veleiro do mundo» assim como o navio Santa Maria Manuela, vão estar ali patentes.

 

Associação portuguesa está implicada

 

A associação ‘Rancho Orgulho Português do Havre’, presidida por Sandrine Ladeira Chouquet, originária da ilha da Madeira, também está implicada neste evento.

«Os veleiros portugueses festejam 80 anos e o Sagres é o veleiro que se encontra aqui em todos os cartazes para representar este evento», começou por dizer com orgulho a responsável associativa.

No sábado 2 de setembro entre as 14h00 e as 15h00 o rancho português irá desfilar entre os navios Sagres e o Santa Maria Manuela.

Contactada antes do verão, pelos serviços de organização do evento, Sandrine Ladeira Chouquet reagiu de imediato com entusiasmo a esta iniciativa. «Anualmente colaboramos com a Mairie para um cocktail aquando do 25 de Abril. Com o aniversário dos navios portugueses parece-me normal estarmos associados também», declarou ao LusoJornal.

 

Ação de promoção de Trás-os-Montes

 

O porto de Le Havre recebe a última ação de promoção internacional do Douro e Trás-os-Montes, inserida no projeto “O Douro à Volta do Mundo – Magellan World” e levada a cabo pela AETUR – Associação dos Empresários Turísticos do Douro e Trás-os-Montes.

O Sagres é de novo o palco da ação, à semelhança da cooperação que já existiu noutros sítios do globo, como, por exemplo, em junho passado, na América do Sul, quando a AETUR organizou a bordo do famoso navio, um grande evento promocional, no porto de Santos ou ainda em Cabo Verde e Funchal no mês de julho.

O navio Sagres está ancorado no porto de Le Havre entre hoje e o 2 de setembro, sendo que a ação promocional da AETUR acontecerá essencialmente no dia 1 de setembro.

Nesse dia, e no navio, estarão 60 operadores turísticos e agentes comerciais pertencentes às áreas do turismo e do agroalimentar, que terão a oportunidade de conhecer os produtos e ofertas turísticas organizadas e receberem uma pen drive com informação sobre produtos de 135 empresas inscritas, compreendendo experiências de viagens e sabores no território duriense e transmontano e passando por informações mais institucionais sobre os diferentes municípios. Serão também servidos e provados produtos da área do agroalimentar, como compotas, fumeiros e vinhos da Região.

Os operadores turísticos, sendo de vários países, representam possibilidades bem distintas no que se refere à promoção do Douro e Trás-os-Montes em diferentes mercados, nomeadamente na França, Alemanha, Bélgica, Luxemburgo, Holanda e Inglaterra.

Para além deste evento mais especializado, vai estar patente no Navio uma exposição com 8 grandes cubos, em parceria com o Museu do Douro e que servirão para apresentar a região com fotografias emblemáticas e outras informações em cada uma das suas faces.

Esta ação é da responsabilidade da Comunidade Intermunicipal do Douro, da Comunidade Intermunicipal de Trás-os-Montes e de vários empresários que aproveitam esta oportunidade de o mais importante veleiro da Marinha Portuguesa estar também aberto a visitas públicas, para chegar a mais gente, até porque por dia estima-se que o famoso navio receba a visita diária de 10 mil pessoas.

‘O Douro à Volta do Mundo – Magellan World’ é um projeto que junta, pela primeira vez, o património do Douro com o legado histórico, científico e cultural deixado pelo navegador Fernão de Magalhães e que tem como objetivo a concretização de diferentes ações de internacionalização da economia e da identidade regional, como os modos de vida, arquivo da memória, Patrimónios da Humanidade e património imaterial.

O projeto tem o objetivo de levar Trás-os-Montes e Douro aos países que integram a Rede das Cidades Magalhânicas, mas também aos mercados prioritários para o turismo português.

 

Dois navios de referência

 

Quanto ao navio Santa Maria Manuela (SMM) foi construído em 1937, pertenceu à lendária Frota Branca e enfrentou as adversidades do mar do Norte durante as duras campanhas da pesca ao bacalhau.

Agora, totalmente renovado, é um veleiro único com excelentes condições para viagens, eventos e experiências náuticas.

Por seu lado o NRP Sagres é um grande veleiro com 90 metros de comprimento, construído nos estaleiros navais Blohm & Voss, na Alemanha, em 1937. Navega há 80 anos, 55 dos quais com a bandeira de Portugal.

A par da instrução dos cadetes da EN, o navio-escola Sagres leva um pouco de Portugal a muitos portugueses espalhados pela diáspora, estreitando os laços entre as comunidades e as suas origens.

Nos portos de escala, o navio-escola Sagres tem um programa vasto de visitas a bordo, divulgação e representação por parte da sua guarnição, bem como diversos eventos organizados juntamente com os parceiros da Marinha que se associaram a esta viagem.

O veleiro está aberto ao público entre o 31 de agosto e o 2 de setembro. As pontes dos diferentes navios podem ser visitados gratuitamente entre as 10h00 e as 17h00.

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 6 Votos
9.3
X