Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Nogent-sur-Marne: Associação Estrelas do Mar esteve em festa

LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha

A Scène Watteau recebeu no passado fim-de-semana a Festa da Associação Estrelas do Mar. Perante uma sala cheia, foram quatros artistas presentes em palco e todos estavam satisfeitos com o ambiente caloroso.

Os Némanus sentiram-se em casa… como em Peniche. “A sala está cheia e é um privilégio estar aqui. Recebemos os emigrantes lá e agora eles recebem-nos cá. São quase 20 anos de carreira e a partilha é sempre muito grande com o público. Nesta sala foi a segunda vez que atuámos e sempre com gente da nossa terra, Peniche, foi como jogar em casa” assinalaram os dois irmãos cujo álbum dos 20 anos está para sair.

A voz feminina desta festa esteve a cargo da cantora Nyhamar, que até desceu do palco para ir junto do público: “É a primeira vez que faço um espetáculo nesta sala. É uma sala boa, o espaço é fantástico. Eu gosto de estar junta do público. Em qualquer parte de Paris, tenho tido uma grande receção” diz a artista com 38 anos de carreira e que em breve também vai lançar um novo álbum. Aliás, a 8 de novembro Nyhamar vai estar no Restaurante La Résidence, antigo La Bifana.

Para Christophe Malheiro tem sido um regresso aos palcos para dar alegria ao público. “É isso que eu tento fazer em todos os meus espetáculos” confessa ao LusoJornal. “As Estrelas do Mar estão de parabéns pela festa, o público foi fantástico também. Um cantor precisa de um público e o público esteve presente. Comigo também tenho pessoas fantásticas que me acompanham, isso é muito bom”. Depois de uma ausência “por razões pessoais e de saúde também”, Christophe Malheiro está a voltar aos palcos. “Peço a todos que me aguardem, é só isso que posso dizer”, afirmou de forma enigmática o cantor.

O palco também acolheu Carlos Pires e sua banda, que estava feliz por voltar a atuar nesta sala e não esqueceu os leitores do LusoJornal que “muitas pessoas ainda pensam que é uma banda de garagem ou daquelas bandas que tocam as músicas de A, B ou C. As pessoas agora têm de perceber que nesta banda só vão ouvir músicas do Carlos Pires. Tenho vindo a progredir e isto graças ao público, mas é a primeira vez que toco com a minha banda aqui em Nogent”. Carlos Pires já tinha cantado nesta sala em play-back mas diz que não gosta. “Eu gosto de tocar com a minha banda”.

Antes de atuar em Clamart este sábado, Carlos Pires vai a Portugal a 11 de outubro. Depois toca em Tours dia 19, “sem falar das datas que já tenho para 2020” diz ao LusoJornal. “Neste momento estou a trabalhar num trabalho para sair no início de 2020. Temos de continuar a evoluir. E quero pedir aos leitores do LusoJornal que continuem a ler o vosso jornal, e que não esqueçam de irem ver os meus vídeos no YouTube ou nas minhas páginas nas redes sociais”, sublinhou o cantor.

Para o Presidente da Associação, Manuel Guardado, em entrevista ao LusoJornal, tudo o que tem ocorrido tem sido graças ao apoio de todos os voluntários que estão na associação. “Nestes últimos anos a associação tem feito muita coisa graças aos voluntários. Admito que ultimamente temos tido uma ajuda da Mairie, e antigamente não tínhamos grandes recursos, mas agora estamos sempre juntos, começámos a fazer umas festas pequenas, mas agora estamos a fazer festas maiores e vamos continuar a fazer festas ainda maiores”, assegurou o Presidente, que também lembrou outros aspetos importantes para a Associação e para ele também. “Temos aulas de português, duas horas ao sábado e temos uma hora de aulas de português para adultos à sexta-feira à noite.

Em relação à festa de sábado passado, estava visivelmente feliz porque a sala estava cheia. “Gostava de continuar a trabalhar assim com esta equipa. Tenho pessoas que vieram de Reims, outras de Beauvais, de muitos lugares diferentes, isso é muito importante. Todos juntos é que conseguimos fazer coisas grandes. Eu gostaria até de juntar mais associações” confessa. A associação presidida por Manuel Guardado esteve recentemente na Associação de Tremblay, na Associação ‘As Gaivotas’ de Nogent, na Associação de Champigny ou ainda na Associação de Limeil-Brévannes. “Mas eu gostaria de juntar mais”, afirmou Manuel Guardado.

Uma festa cuja apresentação esteve a cargo de Carlos Tavares, que não deixou escapar a oportunidade para elogiar o trabalho do Presidente da Associação, mas também do LusoJornal. “É um dos Presidentes de todas as associações em França que eu conheço que trabalha muito para ter um certo resultado. E a festa deste sábado foi mais uma prova, é o resultado do que fez um Presidente e não só, toda uma associação” disse ao LusoJornal.

 

LusoJornal Artigos
Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 1 Voto
9.1
X