Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Nuno Ferreira: contramestre de Capoeira organiza a partir de Paris o Festival da Capoeira de Sines

LusoJornal / Carlos Pereira LusoJornal / Carlos Pereira LusoJornal / Carlos Pereira LusoJornal / Carlos Pereira LusoJornal / Carlos Pereira

O grupo de Capoeira Sul da Bahia, que conta com sensivelmente 500 praticantes na região de Paris, vai organizar a segunda edição do Festival de Capoeira de Sines, em Portugal, entre os dias 5 e 11 de agosto. O evento é organizado a partir de Paris, em colaboração com a Câmara Municipal de Sines, a Capitania do Porto de Sines e com a ajuda do Deputado Paulo Pisco.

Nuno Ferreira, o Contramestre do grupo nasceu em Sines. É filho de pai caboverdiano, mãe portuguesa, avó guineense e avô brasileiro. O pai, Alberto, foi jogador de futebol. Jogou no Vasco da Gama, no Boavista, no Belenenses e depois veio jogar para França. Nuno Ferreira veio ter com ele quando tinha apenas 12 anos de idade.

Desde 1994 que Nuno Ferreira pratica Capoeira e há 20 anos que está ligado ao grupo Sul da Bahia, que nasceu em Porto Seguro, no Brasil “onde o Brasil foi descoberto” acrescenta o professor.

“Tenho levado a Capoeira a todos os tipos de público, desde crianças de 3 a 5 anos, aos mais velhos. A Capoeira une as famílias porque faz com que pais e filhos pratiquem juntos” explica Nuno Ferreira ao LusoJornal.

Mas o professor trabalha também com pessoas com deficiências psicomotoras e com praticantes sofrendo doenças patológicas. “Eu sou diabético desde os meus 12 anos, desde que cheguei aqui. Quando somos doentes, ficamos presos dentro de uma jaula e quando entramos dentro de uma Roda de Capoeira, não existe idade, nem cor de pele, nem nível social, nem doença, existe só o bem estar e a Roda de Capoeira quebra muita coisa e deixa uma liberdade, ali aprendes a falar e falas como queres. A coisa boa é essa, a expressão natural, o bem estar mental e físico” conta Nuno Ferreira.

É este bem estar que os organizadores quem levar a Sines. “Sabendo que eu saí de lá e tenho o meu cordão umbilical lá – já que é lá que a minha mãe vive – sempre foi um sonho um dia poder fazer essa ligação entre a cidade e a Capoeira. Há 3 anos realizámos isso e fizemos o primeiro Festival de Capoeira na baía de Sines e vamos agora fazer a segunda edição”.

“Vai ser uma semana inteira de Capoeira, mas também temos muitas outras atividades, graças a muitas parcerias locais” explica Wilson Vieira da organização do evento. “A baía de Sines é uma zona lindíssima para passar as férias”.

Wilson Vieira sempre gostou de artes marciais e foi no Salão de artes marciais de Paris que descobriu a Capoeira. Depois, nas férias na Costa da Caparica, começou a treinar na praia com um grupo de ali estava, há muitos anos que pratica com Nuno Ferreira. “Dou-lhe uma ajuda na organização do Festival de Sines, mas também aqui, por exemplo ocupo-me de propor a prática de Capoeira nas empresas” diz ao LusoJornal.

Nuno Ferreira confirma que vão deslocar-se a Sines praticantes de Capoeira de vários países “como por exemplo da Suécia, Dinamarca, Itália, Brasil, Chile, Áustria, e claro de França” conta ao LusoJornal. “De França já tenho confirmada a presença de cerca de 30 crianças que vão deslocar-se a Sines com os pais e espero que vamos ser 150 no total”.

Mazarine Nogueira pratica Capoeira há 8 anos. Já esteve em Sines na primeira edição do Festival e “nem por nada” quer faltar à edição deste ano. Pratica Capoeira duas vezes por semana, às terças-feiras e aos sábados em Joinville-le-Pont. Já nasceu em França, mas os pais são de Santo Tirso. Já foi fazer demonstrações ao Brasil, à Itália e, claro, a Portugal. “Em Sines é muito bom. Temos Capoeira todos os dias, mas também temos outras atividades, como por exemplo Samba e Surf. É muito giro, é festa todos os dias” garante.

A associação Sul da Bahia tem cerca de 500 praticantes na região Île-de-France, em 20 cidades diferentes. “A minha vida é a Capoeira, dou 30 horas de capoeira por semana, e viajo muito com a Capoeira” afirma Nuno Ferreira.

A próxima viagem vai ser para Portugal, para preparar todos os detalhes de um festival que deve animar Sines durante uma semana.

 

LusoJornal Artigos

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 7 Votos
8.1
X