Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Donativos LusoJornal

 

O filme “Rock Bottom Riser”, do realizador luso-americano Fern Silva, conquistou o prémio para música original da 43ª edição do festival francês Cinéma du Réel, em Paris, dedicado ao documentário, anunciou a organização na sua página de Internet.

Iniciado em 12 de março, com uma programação para ver à distância e no pequeno ecrã, por causa da Covid-19, o festival, que terminou no domingo, contava também com a participação de filmes dos realizadores portugueses Sandro Aguilar e Joaquim Pinto.

“Rock Bottom Riser” (2021, Estados Unidos), cuja música original é de Sergei Tcherepin & Lea Bertucci, foi apresentado no festival francês depois de ter estado no de Berlim, onde recebeu uma menção honrosa. O filme foi criado partir de imagens de um vulcão no Havai, e aborda questões sobre ciência, prospeção na natureza e colonialismo.

Na justificação do prémio, o júri do festival sublinhou: “A música torna-se um elemento fundamental na experiência cinestésica de ‘Rock Bottom Riser’ devido à sua construção rica e versátil, integrando diferentes tipos de sons provenientes das paisagens insulares. Uma música que, além de acrescentar sentido e revelar o poder das imagens, liberta-se das suas funções musicais para se transformar, em si mesma, num material cru para o filme. Música que vale a pena ouvir e ver”, vincou.

Fern Silva, luso-americano nascido em 1982, filho de portugueses que emigraram para os Estados Unidos, é um artista visual e realizador de cinema, com trabalho artístico já mostrado em contexto de festivais, galerias de arte e museus. Atualmente vive em Atenas.

Tem mais de uma dezena de curtas-metragens, entre as quais “Notes from a bastard child” (2007), que integrou o festival IndieLisboa, e “Ride light lightning, crash like thunder” (2017), exibido no Curtas de Vila do Conde.

Nesta edição do festival Cinéma du Réel, o filme “The Inheritance”, de Ephraim Asili, foi distinguido com o Grande Prémio do júri. O prémio para a seleção internacional foi entregue a “Odoriko”, de Yoichiro Okutani (Japão/Estados Unidos/França), e o prémio para primeira curta-metragem foi para “Feast”, de Tim Leyendekker, dos Países Baixos, enquanto o prémio do público foi para “Wadi Jhannam”, de Zoé Filloux (França).

A competição internacional contou com 11 longas-metragens e 10 curtas-metragens, entre as quais, além de “Rock Bottom Riser”, de Fern Silva, o filme experimental “Armour”, do produtor e realizador português Sandro Aguilar.

Coproduzido com o Canadá, “Armour” conta com as interpretações de Jean-Philippe Catellier e Eduardo Aguilar, e esteve já presente numa dezena de festivais, entre os quais o Curtas de Vila do Conde, o Caminhos do Cinema Português e os Encontros Internacionais do Documentário de Montreal (Canadá).

Na 43ª edição do Cinéma du Réel, organizado pelo Centro Pompidou, em Paris, foi ainda exibido, fora de competição, o filme “E agora? Lembra-me” (2013), de Joaquim Pinto, documentário sobre um ano de ensaios clínicos a que o realizador se submeteu para o tratamento do vírus da Hepatite C.

 

Cultura
X