Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Desporto

 

Portugal tem uma “hipótese real” de qualificar-se para o Mundial de râguebi França2023 no torneio final de repescagem, disse à Lusa o Selecionador nacional, Patrice Lagisquet, fazendo a previsão depender de ter “a melhor equipa disponível”.

Hong Kong foi o último país a juntar-se aos Estados Unidos e Quénia no lote de adversários que vão discutir com os ‘Lobos’ a última vaga na competição, e o Técnico francês acredita que a sua equipa pode sair vencedora da repescagem, no Dubai, em novembro.

“Se olharmos para o ‘ranking’ mundial, vemos que os Estados Unidos estão apenas uma posição à nossa frente [19º lugar]. E, mais do que isso, pela forma como jogámos recentemente contra Itália, Argentina XV e Geórgia”, analisou Patrice Lagiquet.

Apesar das três derrotas sofridas nos encontros da ‘janela’ de jogos internacionais de verão, o Treinador francês gostou de ver a evolução do jogo dos avançados, que vai ser “a chave do torneio” de repescagem. “O nosso objetivo nestes jogos era melhorar o nosso jogo de avançados e, contra a Geórgia, mostrámos que podemos competir com os nossos avançados contra equipas fortes nesse setor. Portanto, o mais difícil será ter a nossa melhor equipa disponível”, apontou o Técnico.

É que, “desde o jogo com o Japão”, Portugal “nunca mais teve todos os jogadores disponíveis”, quer fosse por lesões, devido à Covid-19 ou às dificuldades impostas por alguns clubes franceses para libertarem os seus jogadores para a Seleção.

Para o Torneio de repescagem, no entanto, “já todos confirmaram que estarão disponíveis”, revelou Patrice Lagisquet.

“Mesmo agora, nos jogos de junho e julho, nunca tivemos a equipa na máxima força. Espero que ninguém se lesione, pois tenho a certeza de que, se tivermos a melhor equipa, seremos competitivos. Só espero não ter nenhuma surpresa”, desabafou o ‘Express de Bayonne’.

Quanto aos adversários que Portugal vai defrontar no Dubai, sem surpresa, Patrice Lagisquet não hesitou em apontar “os Estados Unidos” como “provavelmente, o adversário mais difícil” da repescagem, até porque é “aquele que tem o ‘pack’ avançado mais forte” entre os três.

“O Quénia, por vezes, consegue ser um adversário forte, mas, especialmente no [râguebi de] 15, não são muito organizados. Já Hong Kong, joga um râguebi ofensivo e rápido, mas esse é o tipo de equipa que gostamos de defrontar”, comentou o Treinador dos ‘Lobos’.

O Torneio final de repescagem para o Mundial de França2023 disputa-se no Dubai, estando os jogos de Portugal previstos para os dias 06, 12 e 18 de novembro.

O clima que se faz sentir nessa região do planeta, nessa altura do ano, também joga a favor de Portugal, pois os jogadores “estão habituados a treinar e a jogar com tempo quente” e, acima de tudo, “não chove, o que é ótimo” para o estilo de jogo dos ‘Lobos’, destacou Patrice Lagisquet, em declarações à Lusa.

O torneio final de repescagem, disputado por Portugal, Estados Unidos, Quénia e Hong Kong em formato ‘round robin’ (todos contra todos a uma volta), vai preencher a última vaga disponível para o Mundial de França2023.

O vencedor do torneio de repescagem será integrado no Grupo C do Mundial, onde irá defrontar País de Gales, Austrália, Ilhas Fiji e Geórgia.

O Mundial de râguebi de 2023 realiza-se em França, de 08 de setembro a 28 de outubro.

 

Donativos LusoJornal
X