Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Desporto

 

O Selecionador português de râguebi, o francês Patrice Lagisquet, elogiou esta semana o “compromisso e trabalho” que valeu o apuramento para o Mundial2023 de França, a segunda participação dos ‘Lobos’ na mais importante prova internacional.

“Desde o início que trabalhámos para isto. Disse-lhes que se trabalhássemos como verdadeiros profissionais poderíamos ter sucesso. Eles aceitaram as regras, treinámos ainda mais duro estas duas últimas semanas e isso foi decisivo para esta qualificação”, congratulou-se o Técnico de 60 anos.

O êxito luso foi consumado no Dubai após o empate 16-16 com os Estados Unidos, na terceira e última jornada do torneio final de repescagem para a competição. “Só pensávamos em apurar-nos. Vencendo, por diferença de pontos… Pensámos sempre em ir passo a passo. O importante é que conseguimos e estamos muito felizes pelo facto de em 2023 voltarmos a ter Portugal num Campeonato do mundo”, regozijou-se.

Uma penalidade convertida por Samuel Marques no último lance permitiu aos lusos igualar o marcador e garantir o apuramento para o França2023, beneficiando da vantagem sobre os EUA no primeiro critério de desempate, a diferença de pontos marcados e sofridos nos três jogos do torneio.

Patrice Lagisquet assumiu estar “orgulhoso do bom trabalho” da equipa e do ‘staff’ técnico, considerando que este fim de semana, “mesmo não sendo um jogo perfeito”, Portugal mostrou que “pode competir a um nível alto”.

“E esta equipa ainda pode melhorar o seu jogo”, acrescentou.

Antes de converter a penalidade decisiva, Samuel Marques tinha falhado duas, nada que preocupasse o Técnico: “Até os melhores podem falhar. Confiei que seria bem-sucedido, como aconteceu”.

Samuel Marques admitiu a “sensação incrível” pelo feito alcançado por Portugal, destacando o facto de ser um “momento especial” para si, para a sua família e para o país, orgulhando-se de fazer parte deste “momento histórico”.

“Foi algo louco. Não senti a pressão (de falhar as duas anteriores penalidades), estava apenas focado e consegui. É uma sensação incrível. Estamos todos de parabéns pelo trabalho feito. Foi a vitória do nosso trabalho”, sublinhou.

Já o ‘Capitão’ Tomás Appleton elogiou a capacidade do grupo de trabalho se harmonizar nas suas diferenças, uma vez que tem atletas a jogar no estrangeiro e outros que fazem do râguebi um segundo trabalho em Portugal.

“Sabíamos das nossas diferenças… não fizemos um grupo perfeito, mas, depois de várias dificuldades e sacrifícios, mostrámos que o trabalho traz resultados. Conseguimos agarrar esta oportunidade”, celebrou.

Assumiu que a forma sofrida como o êxito foi alcançado “é à portuguesa” – “se calhar, não poderia ser de outra maneira” -, salientando que o mais importante foi o “resultado final”.

“Garantimos a presença no mundial e temos de estar satisfeitos. Estar em França era o melhor que podíamos pedir. Orgulhoso de fazer parte deste grupo, que se constrói com tempo e resultados.

Destacou a vontade do grupo em dar “bons espetáculos” e assumiu que Portugal tem de ganhar a “resiliência” demonstrada para poder superar os últimos 20 minutos, a fase de jogo em que os ‘Lobos’ não costumam estar tão bem.

“Não jogámos o râguebi que queríamos, mas foi o necessário”, concluiu.

Os Portugueses e os Norte-americanos disputavam a última vaga no França2023, após ambos vencerem os primeiros encontros do torneio final de repescagem, frente aos campeões asiáticos, Hong Kong, e aos vice-campeões africanos, o Quénia.

Portugal tinha falhado o apuramento através do agregado de resultados dos Europe Championship de 2021 e 2022, mas obteve o direito a disputar a repescagem, no Dubai, após a Espanha ter sofrido uma penalização de 10 pontos por utilização irregular de um jogador.

Esta é apenas a segunda vez que Portugal vai disputar o Campeonato do Mundo de râguebi, após a única e histórica participação, em 2007, também em França.

A Seleção portuguesa vai integrar o Grupo C do Campeonato do Mundo, com País de Gales, Austrália, Ilhas Fiji e Geórgia. O Mundial de râguebi de 2023 realiza-se em França, de 08 de setembro a 28 de outubro.

 

Donativos LusoJornal
X