Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Donativos LusoJornal

 

A nova época futebolística está prestes a principiar em Portugal, fazem-se ensaios de táticas, examina-se a forma dos jogadores com os jogos de preparação. Com a compra de novos jogadores e a venda de outros, os clubes fazem os seus negócios preparando um novo ano que se quer de emoções nos estádios.

O Sport Lisboa e Benfica atravessa momentos perturbantes, talvez dos mais importantes da sua história, ocasião para entrevistarmos Paulo Peixoto, Presidente carismático e emblemático da Casa do Benfica de Tourcoing, a casa número 224.

 

Paulo Peixoto como analisa a situação atual do Sport Lisboa e Benfica?

Estamos a 2.000 quilómetros de Lisboa, é muito difícil falar sobre o assunto. Acreditamos na justiça portuguesa. O nosso Presidente não está acusado, estão sim em causa jogadas feitas com algumas empresas. Se fez alguma asneira tem que ser condenado como seríamos nós condenados se tal fosse o caso e a justiça o julgar. Repare contudo que no Sporting, o Bruno Carvalho foi acusado de tudo e ao fim acabou por ser ilibado de tudo. Acho que o Presidente Luís Filipe Vieira fez bem em demitir-se para melhor poder defender-se, façamos confiança na justiça portuguesa. Temos o Rui Costa como Presidente interino, substituto, sobre o qual depositamos a nossa confiança, esperando pelas eleições, nas quais penso que haverá muitos candidatos, contudo muitos vão votar pelo Rui Costa, não esqueçamos contudo que somos um clube democrático, os sócios podem votar por quem quiserem.

 

Será que o seu Presidente Luís Filipe Vieira terá de uma certa maneira abusado e traído o Benfica?

Não podemos falar assim. Não podemos esquecer o trabalho feito durante os últimos 17 anos da sua presidência, um trabalho enorme a nível estatutário, património imobiliário, novo estádio, o nosso museu, um dos mais lindos a nível nacional… Luís Filipe Vieira acabou por dar uma maior credibilidade ao clube. Eu não me esqueço do que era o Benfica há 18, 19 anos atrás, com o Vale e Azevedo e o que é agora, graças ao trabalho do Luís Filipe Vieira e da sua Direção. O que está a acontecer é muito triste, ao vermos o tratamento do nosso clube nos jornais, nos telejornais, na imprensa desportiva… contudo, que a justiça faça o seu trabalho. Não nos compete a nós de o condenarmos, há um termo que se utiliza que é o de “presumido inocente” enquanto o processo não for julgado.

 

É favorável a que haja novas eleições no SL Benfica?

No Benfica não pode haver ditaduras, os sócios têm que votar, eleger e respeitar os estatutos do clube. Por enquanto o Rui Costa é Presidente interino, se quiser ser Presidente por quatros anos, terá que se apresentar. Espero que as eleições tenham lugar antes do fim do ano. Os sócios é que votam, temos que fazer confiança na escolha que será feita, o clube pertence aos sócios e não a um testemunho transmitido entre Luís Filipe Vieira e Rui Costa.

 

A situação de governação do Benfica poderá ter repercussões negativas nos resultados do clube?

Sim pode, a nível de credibilidade, a nível dos patrocínios e da estabilidade do clube. Temos que pensar que não é o que vai acontecer. O Rui Costa está a dar os meios necessários ao nosso Treinador, Jorge Jesus, a nível de reforço do plantel. Acho têm de fazer tudo para haver o mínimo possível de repercussões a nível da equipa e nos patrocinadores. No próximo dia 4 vamos jogar um jogo importantíssimo em Moscovo, que nos pode dar acesso à Liga dos Campeões. A equipa tem que estar focada no jogo e não se coloca questões de quem vai estar à frente do clube durante os próximos 4 meses ou se vai haver eleições… O Benfica atualmente é um clube apetecível, é a maior instituição a nível nacional, muita gente quer lá entrar, provavelmente muitos candidatos haverá nas próximas eleições, porque é um clube com grande valor e que atrai muita gente. Acreditamos no futuro do nosso clube, que também está nas nossas mãos.

 

Desporto

 

X