Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Donativos LusoJornal

 

O advogado Pierre Emmanuel de Oliveira é o Presidente da Delegação da Câmara de comércio e indústria franco-portuguesa (CCIFP) para a região Nouvelle-Aquitaine que hoje vai ser inaugurada em Bordeaux na presença do Secretário de Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias.

Numa entrevista ao LusoJornal, Pierre Emmanuel de Oliveira contou o seu percurso.

 

Antes de ser advogado, foi empresário em Limoges. Como se deu esta mudança?

Eu nasci em Limoges e fiz todos os meus estudos em Limoges. Com 22 anos criei a minha primeira empresa com o meu irmão na área da informática. Tive também uma empresa de cerâmica – o que em Limoges me parece natural – também trabalhei na área da construção civil e tive uma agência imobiliária. Durante todo este tempo fui estudante até ter o meu doutoramento. Dois anos depois de ter o doutoramento, decidi ser advogado, então vendi tudo, casa e empresas, e como tinha o doutoramento, podia entrar diretamente na escola de advogados sem passar exames de entrada. Frequentei a escola de advogados em Poitiers e depois fiz o meu estágio em Bordeaux e acabei por me instalar aqui em Bordeaux.

 

Tem um escritório aqui…

Sim, tenho duas advogadas francesas, mais uma antiga advogada portuguesa que me apoia no direito português e tenho uma secretária que é a minha mulher, que está a trabalhar comigo.

 

Porque decidiu exercer também em Portugal?

Para mim foi uma forma de ter uma ligação mais forte com Portugal, de voltar a explorar as minhas raízes, porque para dizer a verdade, até aos 30 anos eu estava longe de Portugal. É claro que eu ia de férias a Portugal, mas quando estava em Portugal falava francês, estava a perder o meu português. Por volta dos 30-35 anos, senti uma necessidade muito forte de me relacionar novamente com a cultura portuguesa e para que Portugal faça parte da minha vida, qual a melhor forma que a de exercer também em Portugal? Foi complexo para conseguir isso, mas já está, já está feito, estou a exercer em França e em Portugal e tenho um escritório no Porto.

 

Até recentemente era o Presidente do Portugal Business Club que transformou em Delegação da Câmara de comércio. Porquê?

Quando cheguei a Bordeaux conheci a associação Portugal Business Club e tornei-me membro associado durante uns anos. Depois fui eleito Presidente da associação, mas eu achava que não tinha os meios para fazer conhecer suficientemente e para ter realmente um impacto na economia aqui em Bordeaux. Quando encontrei o Carlos Vinhas Pereira, o Presidente da Câmara de comércio e indústria franco-portuguesa, com sede em Paris, achei que juntar as forças seria muito melhor para poder atuar e ser eficaz nas ações dos empresários e desenvolver uma rede muito mais forte e potente para poder realmente desenvolver os negócios.

 

Qual é o objetivo da Delegação?

O nosso objetivo é fazer aderir o máximo de empresas que querem trabalhar na relação entre a França e Portugal. Podem ser empresas francesas e obviamente, no exercício da minha profissão de advogado, tenho muitos clientes franceses que vão instalar-se em Portugal ou que estão interessados pelos negócios com Portugal. A atuação da Câmara é ajudar as empresas portuguesas a encontrar mercado em França e ajudar as empresas francesas a ir criar atividade em Portugal. No fundo é desenvolver uma rede de empresários, uma pessoa só não faz grande coisa, mas todos juntos podemos fazer grandes coisas.

 

Outra vertente da sua vida é a de ser autarca na cidade de Ambarès-et-Lagrave. Como surgiu este novo desafio?

Eu gosto de me investir e ajudar as outras pessoas. Talvez tenha sido por isso que larguei a minha função de empresário para exercer a função de advogado. Neste caso, vieram-me convidar. Eu não fazia ideias de me candidatar, mas vieram-me convidar, apresentaram-me um bom programa, falei com o Maire e achei que tínhamos interesses comuns e que podíamos desenvolver a cidade onde estou a morar, então aceitei, fomos eleitos e ocupo-me do emprego, comércio de proximidade, desenvolvimento económico e digitalização. É muito interessante, mas pede muito tempo, é desgastante. É verdade que eu já estou muito ocupado, mas acho que é também muito enriquecedor dar o meu tempo.

 

Para além de ser advogado em Portugal e em França, de ser Delegado da Câmara de comércio e indústria franco-portuguesa (CCIFP) na Nouvelle-Aquitaine, para além de ser também autarca, Pierre Emmanuel de Oliveira ainda é professor universitário em Limoges.

 

Empresas
X