Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Desporto

 

As duas Seleções portuguesas de hóquei em patins, a masculina e a feminina já chegaram a San Juan, na Argentina, para disputarem os Mundiais da disciplina e o primeiro jogo das duas Seleções vão ter lugar na segunda-feira, com as respetivas Seleções francesas.

O Mundial de hóquei em patins, integrado pela terceira vez nos Jogos Mundiais (World Roller Games), adiados de 2021 para 2022 devido à pandemia de Covid-19, decorre pela sexta vez em San Juan, de segunda-feira até 13 de novembro.

 

Masculinos querem renovar o título

Campeão em título, conquistado em Barcelona, em 2019, após um jejum de 16 anos, Portugal vai tentar a renovação do troféu, que conquistou por 16 vezes em 44 edições e assim igualar os 17 títulos da Espanha, atual bicampeã europeia.

Portugal, inserido no grupo A, inicia a defesa do título na segunda-feira frente à França – quarta classificada no último Mundial e vice-Campeã europeia na final perdida no prolongamento para a Espanha (2-1) -, após o que defronta a Itália (terça-feira) e o Chile (quarta-feira).

O grupo B é composto pelas Seleções da Argentina, vice-Campeã mundial na final perdida no desempate por grandes penalidades para Portugal (2-1), num jogo em que se destacou o guarda-redes Ângelo Girão, Espanha, Angola e Moçambique.

O Selecionador Renato Garrido assumiu o objetivo de Portugal em revalidar o título, mas atribuiu o favoritismo à Argentina, que joga em casa. Renato Garrido não escondeu a ambição de chegar à final da prova, apesar de estar ciente das dificuldades que espera encontrar logo na fase de grupos. “Queremos fazer um grande Mundial e ganhar os jogos todos até chegar à final, embora sabendo perfeitamente das adversidades que vamos ter, numa fase de grupos bastante difícil”, disse o Técnico.

“É uma fase de grupos bastante difícil, com o primeiro jogo contra a França e depois com a Itália. Não podemos esquecer os jogos que fomos tendo com a França, que nem sempre foram fáceis [derrota no Europeu de 2021]”, sublinhou.

Quanto ao plantel, o Técnico rejeita qualquer crítica que esteja envelhecido, destaca a sua experiência e o facto de os jogadores disputarem as melhores ligas e as principais provas da modalidade.

 

Femininas sonham com o primeiro título

Em femininos, Portugal tem o sonho de conquistar o primeiro título, mas com o objetivo de melhorar a classificação da última edição. “Vamos tentar, claramente, melhorar a posição que alcançámos no último mundial em Barcelona [quinto lugar]. Esse é o nosso primeiro foco. Depois, os sonhos comandam a vida, mas não é fácil, atendendo ao patamar em que estamos, comparando com o patamar em que se encontram os adversários”, disse o Selecionador Hélder Antunes.

O Mundial feminino de hóquei em patins integra os Jogos Mundiais de patinagem, em San Juan, na Argentina, pela terceira vez, e arranca também na segunda-feira, dia em que Portugal se estreia no grupo A com a França.

Para o Técnico, não vai ser fácil jogar na Argentina, numa fase de grupos com a Espanha, sete vezes vencedora e tricampeã em título, o Chile, que eliminou a Seleção nacional nos quartos de final do Mundial de 2019, em Barcelona, e a renovada França, “que pode ser uma surpresa também agradável do ponto de vista competitivo”.

No entanto, Hélder Antunes garantiu que, “com toda a certeza”, a Seleção lusa vai “disputar todos os jogos como uma alma imensa, com a imagem de marca de guerreiras, em que vão encarar cada jogo com a mesma seriedade”.

O Selecionador nacional frisou ainda que as hoquistas portuguesas “estão a fazer um trabalho sério e estão focadas na competição e em levar Portugal o mais longe possível”.

Segundo a Capitã Marlene Sousa, o grupo está com uma motivação “muito grande” e com vontade de alcançar o “melhor lugar possível”.

“Trabalhamos todos os dias a pensar jogo a jogo para passar a fase de grupos e depois logo se vê”, realçou a hoquista do Benfica, salientando que “já faz falta a Portugal um campeonato do mundo”.

Com quatro presenças em finais de campeonatos do mundo, mas sem qualquer título mundial no seu palmarés, Portugal, três vezes campeão da Europa de femininos, inicia a competição na segunda-feira, frente à França, defrontando, depois, Espanha e Chile, na terça e na quarta-feira, respetivamente, na fase de grupos, antes das eliminatórias da competição, que termina no dia 12 de novembro.

 

Donativos LusoJornal
X