Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Portugal e França disponíveis para acolher migrantes do grupo de 82 pessoas que estavam a bordo do navio humanitário ‘Ocean Viking’, autorizado a atracar em Lampedusa.

Através de um comunicado conjunto do Ministério da Administração Interna e do Ministério dos Negócios Estrangeiros, o Governo português revela que já manifestou essa disponibilidade junto da Comissão Europeia.

Além de Portugal, também a França, Alemanha, Itália e Luxemburgo manifestaram essa disponibilidade, “num gesto de solidariedade humanitária e de desejo comum de fornecer soluções europeias para a questão da migração e das tragédias humanas que se verificam no Mediterrâneo”.

“Não obstante esta disponibilidade solidária sempre manifestada, o Governo português continua a defender uma solução europeia integrada, estável e permanente para responder ao desafio migratório”, lê-se no comunicado.

Os dois ministérios aproveitam para lembrar que Portugal “tem participado ativamente em todos os processos de acolhimento”, tendo o país já acolhido 139 pessoas desde 2018.

Os 82 migrantes a bordo do barco humanitário ‘Ocean Viking’, das organizações não-governamentais (ONG) SOS Méditerranée e Médicos Sem Fronteiras (MSF) foram autorizados a desembarcar num porto da ilha italiana de Lampedusa.

O primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, pediu em Bruxelas para que os países europeus promovam um mecanismo automático de redistribuição dos migrantes que navegam pelo Mediterrâneo com destino à Europa.

O ‘Ocean Viking’ já esteve duas semanas no Mediterrâneo com 356 migrantes a bordo em agosto passado, até seis países europeus – França e Portugal incluídos – concordarem no realojamento dos resgatados, uma situação extrema criticada pela MSF, que pediu à UE um sistema permanente em vez de pactos pontuais para cada situação.

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 2 Votos
2.1
X