Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Portugal esteve presente no 22° Salão de vinhos e produtos da terra de La Garenne-Colombes

LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha

No âmbito da geminação de Valpaços com La Garenne-Colombes, realizou-se nesta cidade francesa, no passado fim de semana, a 22ª edição do Salão de vinhos e produtos da terra, no teatro Municipal.

Portugal contou com a presença de duas empresas: a Cooperativa de vinhos Caves de Santa Marta de Penaguião e o fumeiro Bísaro – Salsicharia Tradicional de Bragança.

Na abertura, na sexta-feira da semana passada, o evento contou com a presença de António Sampaio da Nóvoa, Embaixador de Portugal na Unesco, que estava satisfeito com a presença portuguesa nesta cidade da região parisiense, sublinhando a importância destes eventos. “É um enorme prazer estar convosco aqui. Quero dar os parabéns à organização e a todos aqueles que estão presentes. A Unesco é uma organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, e o que se faz aqui é isso tudo junto. A educação não é apenas um saber formal, é também aprender as tradições e a gastronomia. A ciência não é uma ciência no sentido mais formal, mas é também os conhecimentos que as pessoas têm, que as pessoas se transmitem, por exemplo na produção de vinho, ou de outros produtos. Por fim a cultura, o que aqui se celebra é algo de cultural com geminações, a partilha dos conhecimentos entre os povos e a diversidade. A cultura tem sentido na convivialidade que traz este salão”, afirmou o Embaixador, que acrescentou uma mensagem de paz e união: “Precisamos disto nas nossas sociedades. Vivemos em sociedades partidas e com muito desconhecimento dos outros, então precisamos de conhecer os outros e de nos apreciar na nossa diversidade”, frisou.

Essa relação importante entre Portugueses e Franceses também foi sublinhada por Philippe Juvin, Maire de La Garenne-Colombes. “Portugal como a França são grandes países de vinhos, são grandes países de gastronomia, e quando estou em Portugal, sinto-me em casa, sobretudo graças aos produtos da terra, como o Porto, o chouriço, ou ainda o azeite. Portugal é um grande país agrícola, como a França. Quando estamos em Portugal, não nos sentimos num país estrangeiro” disse ao LusoJornal. “Quando pensamos num salão de vinhos e produtos da terra, pensamos sempre em Portugal”, realçou o Maire que também admitiu que a geminação entre La Garenne-Colombes e Valpaços tem sido muito produtiva. “Muitas vezes vou a Valpaços, uma vez ou duas por ano. O Presidente da Câmara de Valpaços também vem a La Garenne-Colombes. Temos boas relações e uma parte da população portuguesa de La Garenne-Colombes vem de Valpaços ali perto do Douro, que é uma das mais bonitas regiões de Portugal”, adiantou.

Para José Vara Rodrigues, membro do Comité de geminação, esta feira traz benefícios a todos os que estão presentes. “É um salão de vinhos e produtos da terra que se realiza pela 22ª edição, e Portugal tem aqui um stand há 17 anos. Há 17 anos que contamos com a presença da Cooperativa de vinhos Caves Santa Marta de Penaguião e há mais de 14 anos contamos também com empresa de fumeiro Bísaro – Salsicharia Tradicional de Bragança. Tem havido uma procura interessante de produtos portugueses, não só pelos Portugueses mas também pelos Franceses e por outras comunidades. As empresas também estão satisfeitas e vêm todos os anos. Estamos todos contentes com este evento”.

As duas empresas portuguesas já marcam presença há mais de 10 anos e querem continuar a vir a esta feira que permite vender e encontrar novos mercados.

Alberto Fernandes da empresa de fumeiro Bísaro – Salsicharia Tradicional de Bragança, admitiu que a sua marca está cada vez mais internacional com a experiência adquirida. “Já vimos aqui há 20 anos. Vamos continuar a exportar e a intensificar a nossa produção porque temos clientes em vários países, nomeadamente França, Áustria, Alemanha e Bélgica. Os nossos produtos vêm de Bragança, mas vendemos também para cadeias de supermercados como a Makro, o Lidl, o Metro, e Modelo/Continente, só para dar estes exemplos. Fomos também considerados recentemente, em 2019, os melhores produtores de enchidos”, afirmou mostrando confiança no que diz respeito ao futuro da marca.

Para Francisco Teixeira da Cooperativa de vinhos Caves Santa Marta de Penaguião, há um produto que os Franceses adoram: o Porto. “Faz 17 anos que venho a esta feira. Já trazemos encomendas de um ano para o outro, outras pessoas passam por lá em Portugal e pedem-nos para trazer nesta altura, e outros compram aqui, então trazemos já as quantidades que sabemos que podemos vender nestes dias” explica ao LusoJornal.

“Esta feira é ótima” diz Francisco Teixeira. “Este ano mudamos a imagem nos Portos com 10, 20 e 30 anos. Trouxemos também uma marca que estamos a lançar nos Portos de 10 anos Tawny e Branco. E também temos vinhos do Douro tintos e brancos. Os Franceses gostam muito do Porto, depois provam os vinhos do Douro e compram também (risos). Os Franceses são os nossos maiores consumidores de vinho do Porto”. E conclui: “Vemo-nos no próximo ano”.

O 22° Salão de vinhos e produtos da terra em La Garenne-Colombes decorreu durante 3 dias nesta cidade da região parisiense e promete voltar no próximo ano.

 

LusoJornal Artigos
X