Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Donativos LusoJornal

 

João Lourenço, Presidente angolano (na foto), e Filipe Nyusi, Presidente moçambicano, estão entre os cerca de 15 líderes africanos que na terça-feira vão estar em Paris para discutir o financiamento da dívida africana e o futuro do setor privado no continente. Este evento conta ainda com a presença do Primeiro Ministro português, António Costa.

No entanto, estes líderes lusófonos vão receber atenção especial por parte do Eliseu, encontrando-se na manhã de terça-feira a sós com o Presidente Emmanuel Macron, em duas reuniões separadas.

Na agenda bilateral do encontro entre Macron e Filipe Nyusi está a situação em Cabo Delgado e os planos de coordenação entre os países vizinhos para fazer face ao terrorismo naquela região, assim como as diversas ofertas de ajuda por parte de Portugal, Estados Unidos e França, segundo fonte do Eliseu.

A situação na vila de Palma afetou os interesses financeiros da França na região, já que a gigante francesa Total preparava-se para investir cerca de 20 mil milhões de dólares num megaprojeto de exploração de gás natural da bacia do Rovuma, no Norte de Moçambique. A empresa francesa abandonou por tempo indeterminado este projeto e tem estado a cancelar todos os contratos no terreno.

Também António Costa vai marcar presença em Paris na terça-feira, fazendo valer os seus dois chapéus de Primeiro Ministro de Portugal, mas também de Presidente do Conselho da União Europeia.

Outros líderes europeus como o Primeiro Ministro italiano, Mario Draghi, ou o Primeiro Ministro espanhol, Pedro Sanchez, vêm também até Paris para estar com os seus homólogos africanos.

Já a Chanceler alemã, Angela Merkel, vai seguir a reunião através de videoconferência, assim como o Secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres.

A França decidiu juntar a esta ocasião uma conferência de apoio à transição sudanesa na manhã de segunda-feira, onde vão estar presentes os principais atores da região.

Na noite de segunda-feira, o Presidente Emmanuel Macron vai acolher os líderes africanos no Palácio do Eliseu para um jantar e a conferência vai acontecer na tarde de terça-feira, no Grand Palais Ephemère, construído junto à Torre Eiffel, enquanto o Grand Palais original está em obras.

 

Comunidade
X