Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Primeira Jornada de Portugal em Cormeilles-en-Parisis foi um sucesso

LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha

No domingo passado, dia 18 de março, teve lugar em Cormeilles-en-Parisis (95) a Jornada de Portugal, organizada pela recentemente criada Associação franco-portuguesa desta cidade.

Durante todo o dia, vários stands mostraram artesanado português, produtos portugueses, pastelaria, livros, presença de escritores e poetas, e havia um espaço de gastronomia. Durante a tarde houve um festival de folclore.

Este foi um primeiro grande evento sobre Portugal na cidade de Cormeilles-en-Parisis. «Temos aqui uma forte Comunidade. Numa cidade com cerca de 24 mil habitantes, mais de 2.000 pessoas têm origem portuguesa» disse ao LusoJornal o Maire Yannick Boedec. «Esta é uma jornada bem simpática porque há muita gente que vem, e como pode constatar, nem todos são Portugueses. Há uma mistura que me parece excecional».

As 17h00, os organizadores tinham contado a visita de mais de 800 pessoas!

A associação foi criada em fevereiro do ano passado. «O nosso primeiro evento teve lugar no quadro do Téléthon, mas esta jornada é mesmo o verdadeiro primeiro evento organizado por nós» disse ao LusoJornal o jovem Presidente Mickael Martins.

«A associação está de parabéns porque começam muito bem. Espero que tenham capacidade para continuar a desenvolver este trabalho» disse ao LusoJornal o Deputado Carlos Gonçalves. «Para um primeiro ano, fizeram um trabalho notável e quero elogiar, felicitar e enaltecer o que faz esta associação por Portugal, aqui a norte de Paris».

Para além de Carlos Gonçalves, estava também presente o Deputado Paulo Pisco. Dois Deputados, o Maire da cidade e vários membros do Conselho Municipal, Joaquim do Rosário em representação do Cônsul Geral de Portugal em Paris,… em termos de representatividade, era difícil fazer melhor.

«Temos a sorte de ter o Manuel do Nascimento nesta cidade» diz Mickael Martins. Manuel do Nascimento é escritor e historiador, com vários livros publicados. «Já houve conferências de Manuel do Nascimento em Cormeilles» acrescenta o Maire da cidade.

Manuel do Nascimento publicou vários trabalhos sobre a participação do Corpo Expedicionário Português na I Guerra Mundial. «Ele fez-nos descobrir uma página da nossa história, que nem nós conhecíamos. É muito importante o trabalho que ele faz» diz o Maire Yannick Boedec.

Uma exposição sobre a participação do CEP neste conflito mundial estava em evidência na sala. O Deputado Carlos Gonçalves considera que «é um centenário para evocar um momento triste da nossa história, onde morreram muitos Portugueses. O facto de ser um centenário deve haver um conjunto de iniciativas até porque a paz é algo de efémero, não temos a garantia que ela se mantenha sempre. Por isso, perpetuar a memória desta participação portuguesa na I Guerra Mundial, parece-me uma excelente iniciativa».

«Este é um ano muito particular para o nosso país, uma vez que se celebra o centenário da participação do Corpo Expedicionário Português na Batalha de La Lys e isso vai trazer uma enorme visibilidade através das cerimónias que se vão realizar, com a participação das mais altas individualidades portuguesas, nomeadamente o Presidente da República, o Primeiro Ministro, Ministros, Deputados, Autarcas, uma data que devemos celebrar porque temos de honrar esses homens que deram a vida por Portugal, pela França, pela Europa» explica por sua vez o Deputado Paulo Pisco.

O Deputado socialista diz que esta não é a primeira vez que vem a Cormeilles-en-Parisis. «Tive já encontros com o Maire e com os Vereadores, onde falámos de várias coisas, sobretudo de dinamizar uma cooperação, e porque não uma geminação, com um município em Portugal que é Baião. Eu fiz o meu trabalho, fiz as minhas deligências, fiz tudo para que tal viesse a acontecer e felizmente estou agora a saber que as coisas estão bem encaminhadas e que os laços entre Cormeilles e Baião vão seguir em frente e isso é motivo de grande satisfação».

Interrogado pelo LusoJornal o Maire da cidade confirma que «talvez daqui até setembro teremos uma boa notícia a anunciar aos habitantes da cidade».

No fim da tarde toda a gente parecia contente com o evento. «É motivo de grande satisfação saber que esta jornada que aqui se realiza, com uma forte adesão da Comunidade portuguesa, a nível da cultura e do artesanato português, é fruto da constituição de uma nova associação que tem pouco mais de um ano e que agora organiza este evento com um espetáculo e com um almoço em que nós pudemos perceber que existem muitos portugueses aqui e que se juntaram porque houve uma associação que se constituiu» diz Paulo Pisco.

«É uma excelente oportunidade para conhecer Portugal, desde logo através da sua etnografia, a sua música e a sua tradição» acrescenta por sua vez o Deputado Carlos Gonçalves. Há uma série de stands com produtos portugueses, temos alguns artistas, fotógrafos, pintores, temos também escritores, portanto é uma boa mostra, é uma boa jornada cultural portuguesa aqui em Cormeilles-en-Parisis».

«Se Deus quiser, vamos continuar. Este é o primeiro ano e, com a ajuda da Mairie, queremos fazer maior» diz ao LusoJornal o Presidente da associação.

O Maire Yannick Boedec concorda. Até porque «a Comunidade está muito bem integrada, sem nenhum problema particular».

 

 

 

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 7 Votos
7.4
X