Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Desporto

 

O autor da penalidade que valeu o apuramento de Portugal para o Mundial de râguebi França2023, Samuel Marques, disse que apenas cumpriu o seu dever e repartiu os louros com todo o grupo de trabalho. “Não consegui nenhuma proeza, apenas fiz o meu dever. A proeza conseguimo-la todos juntos, a equipa técnica, os jogadores e todas as pessoas que acreditaram em nós”, disse o médio de formação da seleção portuguesa à Lusa.

Samuel Marques cobrou o pontapé de penalidade que permitiu a Portugal empatar 16-16, já no tempo extra do jogo contra os Estados Unidos, no torneio final de repescagem para o Mundial2023, que se disputou do Dubai.

Portugal precisava de ganhar ou empatar com os norte-americanos para voltar a assegurar a presença no Campeonato do Mundo pela segunda vez na sua história, após a presença no França2007.

Em 2007, o médio de abertura dos ‘Lobos’ tinha apenas 19 anos e dava os primeiros passos no râguebi sénior, mas recorda-se especialmente do jogo contra a Nova Zelândia, que Portugal perdeu por 108-13.

“O meu pai nasceu em Vila Nova de Famalicão, mas os meus avós são de França e não tenho mais qualquer ligação com Portugal. Só vou para os jogos da Seleção, mas, sim, lembro-me do jogo com a Nova Zelândia. Estamos todos ansiosos por este Mundial. É um momento incrível”, assumiu o lusodescendente.

Atualmente ao serviço do Carcassonne, na ProD2, segundo escalão profissional francês, Samuel Marques conta com diversas passagens pela I Liga de França, o Top 14, ao serviço do Section Paloise, do Stade Toulousain e do Brive.

Aos 33 anos, o número ‘9’ soma 40 internacionalizações por Portugal, segundo informação disponibilizada pela Federação Portuguesa de Râguebi no guia de imprensa do torneio de repescagem, e não tem dúvidas em afirmar que este é o momento mais alto da sua carreira.

“Sim, claramente. Para qualquer jogador de râguebi, participar num Campeonato do Mundo é um momento incrível”, assumiu Samuel Marques.

O médio de formação, que ‘assinou’ 11 pontos (três penalidades e uma transformação) dos 16 pontos obtidos por Portugal no encontro que valeu o apuramento, esteve, no entanto, ausente da Seleção portuguesa durante oito anos, entre 2013 e 2021.

Regressou na época passada, ‘seduzido’ pelo Selecionador Patrice Lagisquet e pelos seus planos de levar Portugal, novamente, ao Campeonato do Mundo. “A chegada do Patrice Lagisquet à Seleção jogou claramente a favor do meu regresso, pela experiência dele e pelo projeto que me apresentou para a Seleção. Ele ganhou a sua aposta”, concluiu Samuel Marques.

A Seleção portuguesa de râguebi garantiu, na sexta-feira da semana passada, o apuramento para o Mundial de râguebi França2023, após empatar com os Estados Unidos (16-16), graças a uma penalidade convertida por Samuel Marques no último lance do encontro do torneio final de repescagem, no Dubai.

Esta é apenas a segunda vez que Portugal vai disputar o Campeonato do Mundo de râguebi, após a única e histórica participação, em 2007, também em França.

A Seleção portuguesa vai integrar o Grupo C do Campeonato do Mundo, com País de Gales, Austrália, Ilhas Fiji e Geórgia. O Mundial de râguebi de 2023 realiza-se em França, de 08 de setembro a 28 de outubro.

 

Donativos LusoJornal
X