Saúde: Síndrome da boca seca

Comunidade

 

Todos nós já sentimos algumas vezes a boca seca. Será normal? Fomos perguntar a uma médica dentista.

O termo “boca seca” tem sido usado para descrever duas condições que podem ou não estar relacionadas: a xerostomia que é a sensação subjetiva de boca seca e a hipossalivação que é hipofunção das glândulas salivares que é definida como um fluxo salivar crónicamente reduzido. Ou seja, a boca seca não está necessariamente relacionada com a diminuição da taxa de fluxo salivar, uma vez que as sensações de secura na boca também são encontradas em doentes com fluxo salivar normal.

 

Prevalência:

Prevalência da xerostomia e hipossalivação é cerca de 25%. Ou seja, uma em cada quatro pessoas sofrem de boca seca, com taxas mais elevadas nos doentes idosos e no género feminino aquando das alterações do sistema endócrino na altura da gravidez e menopausa.

 

Fatores de risco:

– Medicação (anti-histaminicos, anti-hipertensores, anti-depressivos e ansiolíticos), -Condições médicas (diabetes, problemas de tiroide, alterações hormonais e metabólicas, síndromes auto-imunes como de Sjögren)

– Tratamentos médicos como a radioterapia da cabeça e do pescoço e quimioterapia.

– Covid-19: o vírus pode afetar as glândulas salivares e os medicamentos para controlo do mesmo podem provocar uma diminuição do fluxo salivar.

– Outros: Respiração oral, tabaco e álcool.

 

Consequências:

A xerostomia pode prejudicar a qualidade de vida e a saúde oral. Pode causar problemas como halitose, dificuldade na retenção de próteses, alteração do paladar e aumenta o risco de cáries e infeções oportunistas como candidíase.

 

Tratamento:

Para o diagnóstico e tratamento da boca seca deve consultar um médico pela sua relação com doenças sistémicas.

O médico dentista poderá prescrever-lhe a utilização de pastas dentífricas, colutórios e géis floretados e específicos para a boca seca e instrução para uma correta higiene oral. Existem outras formas de aliviar a sensação de boca seca como mastigar pastilhas ou rebuçados sem açúcar, substitutos salivares em forma de spray, beber muita água, evitar bebidas gaseificadas, café, álcool e tabaco.

 

Dra. Francisca Gonçalves

Médica dentista

Clínica Santa Madalena

 

Donativos LusoJornal