Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

A Francesa Christine and The Queens diz que público “pode ser o que quiser” no Super Bock Super Rock (SBSR).

Os músicos franceses estiveram em destaque e a primeira a atuar foi Christine and the Queens, “um dos nomes mais fortes do ‘novo pop francês’”, que subiu ao palco principal dizendo ao público que lhe podia chamar “Chris”, o nome do último álbum que lançou, em 2018.

“Esqueci-me de dizer algo muito importante. O espaço que estamos a partilhar é um espaço seguro, onde podem fazer o que quiserem”, referiu a cantora, que junta a música, teatro e dança num só espetáculo, sempre com uma energia contagiante.

Mais tarde, Christine, que canta maioritariamente em inglês, afirmou mesmo que se quiser “pode dizer que é um homem”, iniciando o tema “Gone”, do álbum “Chaleur humaine”, de 2014, onde refere: “I’m a man now”.

No palco EDP surgiu a Franco-Britânica Charlotte Gainsbourg que deu a conhecer o seu último álbum, lançado em 2017, “Rest”, onde mistura o inglês e francês.

Acompanhada por várias luzes LED em forma de quadrado, Charlotte manteve poucos diálogos com os festivaleiros, mas disse várias vezes “obrigada” em português, quando era aplaudida no final de uma canção, como aconteceu com “Sylvia Says”.

As pessoas deslocaram-se em peso para ouvir a principal atração, a banda francesa Phoenix, que está a dar a conhecer o seu mais recente álbum, “Ti amo”, lançado em 2017.

A festa continuou com Kaytranada, considerado “um dos principais talentos do hip hop mundial”, nascido no Haiti e criado no Canadá.

Recorde-se que a 25.ª edição do SBSR regressou ao Meco, em Sesimbra, depois de seis edições em Lisboa, no Parque das Nações.

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 1 Voto
9.2
X