Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Comunidade

 

O sociólogo e antropólogo François Héran, o historiador David Colon e a urbanista Claire Pelgrims estão entre os participantes da “Noite das Ideias”, a decorrer na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, no dia 27.

François Héran irá abordar a luta contra as discriminações; o historiador David Colon falará num mundo sem manipulação de massas, e a urbanista Claire Pelgrims irá falar sobre a mobilidade sustentável, desprovida de género, enquanto o filósofo Heinz Wizmann irá discorrer sobre o papel das crises no desenvolvimento de uma consciência comum.

Nesta quinta edição da “Noite das Ideias”, uma noite de reflexão e debate de entrada gratuita a decorrer entre as 18h00 e as 22h30, do próximo dia 27 de janeiro, participarão ainda os professores, investigadores, gestores e curadores António Pinto Ribeiro, Eduardo Marçal Grilo, José Luís da Cruz Vilaça, Maria Manuel Leitão Marques, Mariana Pestana, Pauline Foessel, Pedro Magalhães, Rachid Benzine, Raquel Vaz Pinto e Samir Amellal.

“(Re)construir em conjunto: para uma Europa mais justa e mais unida” é o tema da edição 2022 da “Noite das Ideias”, que será abordado, em simultâneo, em duas centenas de cidades do planeta, acrescenta uma nota da Gulbenkian.

Realizando-se num contexto de pandemia, de quebra de financiamento em vários setores da economia, num ambiente cada vez mais marcado pela dúvida e pela incerteza, por posições extremadas e confrontos, esta quinta edição da Noite das Ideias propõe uma conferência inaugural, com Carlos Moedas, Presidente da Câmara de Lisboa, um concerto da Orquestra Gulbenkian, que assinala o início da Presidência Francesa da União Europeia, e diálogos e conversas sobre as mais variadas derivações do tema deste ano – da ciência à luta contra a discriminação, da mobilidade à manipulação de massas, do financiamento de projetos artísticos e as restituições de peças museológicas, aos desafios da Justiça e do Estado de direito, entre outros.

Na área das ciências, haverá um debate entre a investigadora portuguesa Elvira Fortunato e a cientista da computação Maarja Kruusmaa, assim como uma palestra do matemático Jean-Pierre Bourguignon, relativa à obsessão dos cientistas pela urgência da melhor partilha.

No campo das artes, dois filósofos, Benedicte Savoy e José Pedro Serra, complementam a visão de curadores, falando de restituições e da crise ou ruína da cultura europeia.

À semelhança das edições anteriores, a Fundação Calouste Gulbenkian, a Embaixada de França e o Instituto Francês de Portugal convidaram um conjunto de nomes, portugueses e franceses, reconhecidos nas mais variadas áreas de atuação, com o intuito de promover o diálogo à volta de um mesmo tema.

 

Donativos LusoJornal
X