Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

A Seleção portuguesa de ténis de mesa está um ponto de se qualificar para o Europeu de equipas de 2019, que vai ter lugar em Nantes, contudo só pensa no triunfo terça-feira, em Vila Nova de Gaia, frente à poderosa Áustria.

“Precisamos de um ponto para atingirmos o objetivo. A Áustria é muito forte, conhecemo-nos muito bem. Tem jogadores também muito bem cotados. É ‘matar’ logo de início, já que depois há cada vez mais pressão”, assumiu Marcos Freitas que até ao ano passado representou a equipa do AS Pontoise, na região parisiense.

Para competir em Nantes2019, em França, Portugal pode até perder por 3-1, sendo que 3-0 conjugado com o triunfo da Hungria sobre a Áustria, em 04 de dezembro, na derradeira jornada, pode empurrar o conjunto das ‘quinas’, vice-campeão em título, para um ‘play-off’ com adversários da segunda divisão europeia e que atribui apenas uma vaga e desgastará ainda mais os jogadores.

Marcos Freitas (nº 16 do ranking mundial) terá, assim, a companhia de João Geraldo (nº 100), Diogo Carvalho (nº 129) e André Silva.

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 1 Voto
9.5
X