Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Os quatro corredores da Seleção Portuguesa terminaram no pelotão principal a quarta etapa do Tour de l’Avenir – Volta a França do Futuro -, uma viagem de 158,2 quilómetros, entre Mauriac e Espalion.

Uma fuga de oito corredores, formada na fase inicial e mais montanhosa da etapa, com cerca de 20 quilómetros percorridos, arrebatou o protagonismo na tirada. Os escapados chegaram a ter cerca de quatro minutos de vantagem e o pelotão, que poderia ter perseguido para proporcionar uma chegada aos sprinters, não reagiu a tempo.

A inoperância do pelotão permitiu o sucesso dos fugitivos e mais uma vitória de etapa para a Grã-Bretanha, desta vez por intermédio de Fred Wright. O segundo foi o Suíço Joel Suter e o Norueguês Søren Wærenskjold fechou o pódio, ambos com as mesmas 3h54m44s do vencedor.

O pelotão gastou mais 2 minutos e 05 segundos e foi nesse grande grupo que chegaram os quatro representantes de Portugal: Gonçalo Carvalho, 61º, Francisco Campos, 65º, Guilherme Mota, 73º, e Jorge Magalhães, 103º.

Em declarações ao LusoJornal, Gonçalo Carvalho resumiu a etapa: «A fuga chegou isolada. Foi um dia tranquilo no pelotão, não fácil, mas sem grande esforço. Deu para recuperar um pouco. Entrar numa fuga é dispendioso em energia, e vamos precisar dessa energia para a alta montanha. Toda a gente já está algo cansada, uns mais que outros», afirmou o ciclista que nos explicou o que espera para a etapa desta segunda-feira: «Tentar não perder tempo», admitiu.

A fuga não foi apenas determinante para a decisão da etapa, provocando também a mudança no topo da geral, agora encimada pelo Francês Simon Guglielmi, com 1 segundo de vantagem sobre o Italiano Giovanni Aleotti e 42 segundos relativamente ao anterior camisola amarela, o Norueguês Tobias Foss.

Gonçalo Carvalho continua como melhor português, tendo subido uma posição, para o 62º lugar a 4 minutos e 33 segundos do primeiro. Seguem-se Guilherme Mota, 64.º, a 4 minutos e 51 segundos, Jorge Magalhães, 71.º, a 5 minutos e 37 segundos, e Francisco Campos, 120.º, a 17 minutos e 11 segundos.

A quinta etapa do Tour de l’Avenir, a disputar nesta segunda-feira, será um desafio de média montanha para o pelotão. Praticamente todos os 158,9 quilómetros, entre Espalion e Saint-Julien-Chapteuil, serão em sobe e desce.

Etapas do Tour de l’Avenir:

15 de agosto: Marmande-Marmande, 129 km (Plana)

16 de agosto: Eymet – Bergerac, 32 km (Contrarrelógio por Equipas)

17 de agosto: Montignac/Lascaux – Mauriac, 162 km (Média montanha)

18 de agosto: Mauriac – Espalion, 158 km (Média montanha)

19 de agosto: Espalion – Saint-Julien-Chapteuil, 159 km (Média montanha)

20 de agosto: Saint-Julien-Chapteuil – Privas, 124 km (Ondulada)

21 de agosto: Dia de descanso

22 de agosto: Grésy-sur-Isere – La Giettaz, 104 km (Média montanha)

23 de agosto: Brides-les-Baisn – Méribel Col de la Loze, 23 km (Etapa em linha curta/Montanha)

24 de agosto: Villaroger – Tignes, 67 km (Alta Montanha)

25 de agosto: Saint-Colomban-des-Villards – Le Corbier, 78 km (Alta montanha)

Com Federação Portuguesa de Ciclismo.

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 3 Votos
9.8
X