Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

A partir do próximo sábado 10 de agosto os trabalhadores da empresa francesa PSA (Peugeot/Citroën) de Mangualde vão fazer greve sábado de manhã e domingo à noite. Uma greve que poderá durar durante todos os fins de semana até ao fim do ano.

Este decisão dos trabalhadores é para combater a produção extraordinária imposta pela direção, segundo fonte sindical. As reivindicações não ficam por aqui. Segundo Telmo Reis, responsável sindical do Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Actividades do Ambiente do Centro Norte (Site-Centro Norte), a direção da empresa «queria que os trabalhadores fizessem, numa semana de cinco dias, quatro com dez horas de trabalho». O sindicato também quer «garantir a manutenção dos dois dias de descanso consecutivo, garantir a não-realização de mais de oito horas diárias de trabalho e o fim da perseguição, chantagem, pressão e repressão», afirmou Telmo Reis.

Esta greve é segundo o sindicato para «chamar a atenção da direção» da empresa de Mangualde para haver um diálogo: «Continuam a exercer pressão e repressão, inclusive disciplinar, sobre os trabalhadores, para os forçar a realizar trabalho aos sábados, domingos, em dia de feriado e em dias normais de trabalho», escreve o sindicato.

Para Telmo Reis, os «trabalhadores sentem-se desanimados e não reconhecidos pelo trabalho», admitindo que o movimento de greve já foi lançado em julho e havia uma adesão de mais de 100 trabalhadores: «Lançámos o pré-aviso de greve no início de julho à espera que a direção sentisse que alguma coisa não estava bem e que viesse negociar connosco. Mas entenderam que estava tudo bem, que os trabalhadores estavam contentes». A direção da fábrica informou os trabalhadores que todos os assuntos serão tratados no fim do ano quando terminar o acordo que a fábrica assinou com a PSA há quatro anos.

De referir que cada turno na empresa francesa PSA (Peugeot/Citroën) de Mangualde tem, em média, cerca de 300 trabalhadores.

PSA quer investir 25 milhões em Mangualde

O diretor-geral da unidade de Mangualde do grupo francês PSA (Peugeot/Citroën), José Maria Castro, anunciou o objetivo de investir até 25 milhões de euros nesta fábrica do distrito de Viseu para a produção de um automóvel a ser lançado em 2023.

No entanto em declarações aos meios de comunicação português, a direção admitiu que pode haver uma possibilidade de encerramento da fábrica se dois aspetos não são mantidos em Mangualde, a flexibilidade e a competitividade. A PSA prevê validar o novo plano estratégico para a fábrica no último trimestre de 2019.

 

LusoJornal Artigos
Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 2 Votos
4.7
X