Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

União Luso Francesa Europeia (ULFE) de Dijon vai festejar 20 anos

A União Luso Francesa Europeia (ULFE) de Dijon vai festejar os seus 20 anos no próximo 2 de dezembro, no Centro Cultural, sede da associação.

Durante a tarde a associação estará aberta ao público para partilhar um momento de convívio e dar a conhecer ao mesmo tempo as diferentes atividades que proporciona. A partir das 20h00 um jantar festivo acolherá os membros da associação, assim como aqueles que ajudaram na construção do novo Centro Cultural.

Presidida por António da Costa, a associação resulta duma fusão entre duas associações portuguesas: a «Association Sportive des Ouvriers Portugais», da qual António da Costa era Vice-Presidente e a «Maison du Portugal», que existiam na capital da Bourgogne há 20 anos atrás.

Na altura a Comunidade portuguesa de Dijon via-se dividida pelas duas associações e regularmente surgiam conflitos e rivalidades. Foi para evitar esse «mau ambiente» e «reunir os Portugueses», que ambas as Direções decidiram unir-se. «Foi então que me propuseram a presidência da ULFE, posto que ocupei durante 10 anos até preferir deixar o meu lugar, por motivos pessoais», começou por explicar ao LusoJornal. O posto de Presidente foi então ocupado por Odália Novais, ex Vice-Presidente da Maison du Portugal, até 2016, antes de António da Costa regressar novamente aos comandos. «Acabei por voltar à associação porque agora estou aposentado e tenho mais tempo para dedicar-me à vida associativa», acrescentou.

No seu «regresso» o atual dirigente viu um dos seus sonhos já realizado: a construção do Centro Cultural que serve como atual sede e naturalmente como espaço para exercer e desenvolver as atividades da ULFE. «Este Centro Cultural já fazia parte dos nossos objetivos há muito tempo. Tivemos que fazer um empréstimo para a sua construção e hoje podemos dizer que com a ajuda de muitos, já temos o rés-do-chão terminado, apenas falta o 1° andar», precisou.

Com mais de 1.200 metros quadrados, a associação beneficia agora de um «excelente local» que lhe permite proporcionar diferentes atividades.

Como não podia deixar de ser a associação tem o seu grupo de folclore «Os Portugueses de Dijon ULFE», que pertencia anteriormente à «Maison du Portugal». Tem também duas equipas de futebol, que disputam os Campeonatos regionais, e que segundo António da Costa, «atrai muitos jovens à associação», um grupo de fado, do qual alguns membros também fazem parte do rancho folclórico e «agora temos dois novos elementos franceses, e vai animando de vez em quando alguns eventos em bares ou restaurantes».

A associação propõe aulas de língua portuguesa para adultos e crianças e de ano para ano tem visto o número de inscritos aumentar significativamente. «Temos cerca de 60 adultos e 30 crianças e há cada vez mais Franceses a solicitar as nossas aulas». E também propõe aulas de Zumba, cujo sucesso é crescente com cerca de 120 inscritos.

Orgulhoso da sua equipa e da sua associação, o António da Costa está consciente que foi preciso muito trabalho e muita colaboração de uns e de outros para dinamizarem o funcionamento da associação. Para além desta dinâmica, a ULFE beneficia de um programa de rádio em português, na «Dijon Campus» que todos os domingos anuncia o programa associativo e promove os diferentes eventos junto dos ouvintes.

Com cerca de 500 sócios e famílias, a ULFE porta-se bem. Portugueses e Franceses, jovens e menos jovens, partilham momentos de convívio no bar da associação para conversarem, ou ainda ver um jogo de futebol. «Temos bar e cozinha e ali podemos organizar diferentes eventos. Tudo se torna mais fácil com este Centro, mas os acabamentos ainda não terminaram».

Outro fator que contribuiu para o êxito da ULFE, foi o apoio da municipalidade local. «Sempre trabalhámos em conjunto».

Uma geminação com a cidade de Guimarães viu o dia em novembro de 2016 e foi assinada no passado 24 de junho, em Portugal, na presença das autarquias francesa e portuguesa. «Não somos originários daquela região, mas pela simbologia da história de cada uma das cidades, Guimarães pareceu-nos uma excelente proposta, já que foi lá que nasceu Portugal», sublinhou. E o primeiro rei de Portugal, D. Afonso Henriques era filho de Henri de Bourgogne.

«Um balanço mais que positivo ao cabo de tantos anos, temos todos orgulho e satisfação no que fazemos», apontou António da Costa ao LusoJornal.

A Direção pretende agora com este aniversário agradecer a todos os que têm acompanhado esta aventura e «esperamos que os jovens mantenham no futuro esta mesma dinâmica e que continuem a promover Portugal como sempre se fez até aqui», concluiu.

Várias personalidades portuguesas marcarão presença no próximo dia 2 de dezembro.

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 7 Votos
7.3
X