Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

A União de Resistentes Antifascistas Portugueses (URAP) considerou que a conferência nacionalista, com presença do Francês Yvan Benedetti (photo), prevista para o próximo sábado, em Lisboa, é “um insulto ao povo português que, em abril de 1974, derrubou a ditadura fascista”.

“No ano em que se comemoram 45 anos da Revolução dos Cravos e em que, por todo o país, se festejou a liberdade e a democracia, tal iniciativa, que contraria as normas da Constituição da República Portuguesa, constitui um insulto ao povo português que, em abril de 1974, derrubou a ditadura fascista”, lê-se em comunicado da URAP.

Entretanto, um total de 65 organizações antifascistas, 28 portuguesas e 37 estrangeiras, subscreveram um manifesto contra aquele evento internacional organizado pelo grupo de extrema-direita `Nova Ordem Social´, dirigido pelo já condenado por vários crimes de índole racial Mário Machado.

Os organizadores da conferência nacionalista só pretendem divulgar o local do seu evento, marcado para as 14h00, no próprio dia, pelas 09h00, segundo a página do fórum do movimento Nova Ordem Social na Internet, que já confirmou a presença de representantes de sete partidos e movimentos europeus de extrema-direita: Mário Machado, Josele Sanchez (Espanha), Adrianna Gasiorek (Polónia), Blagovest Asenov (Bulgária), Francesca Rizzi (Itália), Mattias Deyda (Alemanha ), Yvan Benedetti (França).

Fonte policial adiantou há cerca de uma semana à Lusa que o Serviço de Informações de Segurança (SIS) está a acompanhar “muito de perto” a conferência nacionalista.

 

LusoJornal Artigos
Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 1 Voto
8.6
X