Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

O Trio Pangea foi fundado há 10 anos por Teresa Valente Pereira (violencelista portuguesa, Adolfo Rascón Carbajal (violinista espanhol) e Bruno Belthoise (pianista francês). A ligação à terra de origem de cada um, unida à partilha de vivências musicais e culturais, têm tanto de diferente como têm de enriquecedor o que constitui algumas das principais marcas da originalidade do grupo.

O compromisso do Trio Pangea com a divulgação da música do século XX e XXI, nomeadamente a portuguesa, tem sido notório. Paralelamente, desenvolvem as suas próprias interpretações ao redescobrir os grandes trios de repertório.

É neste espírito que se constitui a tournée «Winter Concerts Series 2018» já programada nas mais prestigiosas cenas portuguesas. O Trio Pangea fará a sua abertura na Casa da Música no Porto a 27 de fevereiro próximo, de seguida no Cine-Teatro de Castelo Branco no dia seguinte dia 28 de fevereiro, no Centro Cultural de Belém no dia 1 de março, no Palácio da Pena nos dias 2 e 3 de março. Poder-se-á revê-lo ainda este verão em diversos festivais: Festival Cistermúsica de Alcobaça dia 13 de junho. Festival do Marvão dia 21 de junho, os três músicos propõem ao público programas em homenagem a Claude Debussy e José Vianna da Motta, duas grandes figuras da música que marcam a efeméride 2018, bem como a criação do Trio com piano «Camoniano» do compositor Alexandre Delgado.

Paralelamente aos seus concertos, o Trio Pangea desde 2015 lançou-se na publicação de uma antologia em vários CDs dedicada ao repertório de trios portugueses com piano para o label Naxos. Este projeto único e ambicioso tem como objetivo o enriquecimento do repertório para esta formação através de várias encomendas a compositores de hoje, obras que serão criadas e gravadas pela primeira vez. Em cada volume, estarão presentes dois trios que abordarão compositores do passado e um novo trio que abordará compositores contemporâneos. Juntos, estes volumes serão um espelho da diversidade e riqueza que constituem a identidade musical portuguesa. O primeiro disco lançado em 2016 recebeu elogiosas críticas na imprensa especializada.

Bruno Beltoise, pianista e fundador do Trio Pangea explica-nos que «no nosso primeiro álbum antológico consagrado a Luís Costa, António Carneyro e Sérgio Azevedo, constituem-se grandes contrastes de estilos mas também uma palette de cores originais e diferenciadas que surpreenderam os media e permitiram a este primeiro disco a recolha de tantas reações positivas pela parte do público e da imprensa nos Estados Unidos, em França e na Inglaterra».

Os músicos do Trio Pangea, estão convíctos que a música portuguesa é valorizada quando nela integram programas ao lado de outros grandes compositores do repertório. É por esta razão que nos concertos da tournée 2018 se alternarão as obras de Joseph Haydn, Robert Schumann, Claude Debussy em conjunto com as de Luíz Costa, José Vianna da Motta e Alexandre Delgado.

Em 2019, o trio Pangea adicionará ao seu repertório compositores espanhóis como Joaquim Turina ou Henrique Granados e fará redescobrir a música clássica portuguesa em Espanha, com um outro colorido, graças ao management da agência de concertos madrilena Romandela. Assim sendo desenha-se para este trio tão original um belo futuro que muito traz à cultura portuguesa.

 

N.B. O violinista Rascón Carbajal estará ausente por motivos de saúde e será substituído por Léo Belthoise.

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 16 Votos
7.6
X