Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Villeurbanne: Philippe Vieira da Silva o empresário que luta contra o encerramento dos restaurantes

Donativos LusoJornal

O lusodescendente Philippe Vieira da Silva é empresário, responsável de duas escola de dança “Baila Comigo” e um bar-restaurante “Espace Zola Z”, na cidade de Villeurbanne.

“Eu sou mais ‘villeurbannais’ que português” diz ao LusoJornal, confirmando que já nasceu em Villeurbanne, nos arredores de Lyon e “foi aqui que eu fiz os meus estudos e vivi até hoje”. Com 44 anos, Philippe Vieira da Silva é casado e pai de dois filhos. É empresário na área de criação de eventos musicais, culturais e de restauração, tanto para portugueses como para franceses. Aliás orgulha-se de ter esta dupla identidade cultural.

Mas os negócios não vão bem. “O meu grande objetivo é salvar as minhas empresas porque sofrem das medidas governamentais sobre o Covid-19 desde o mês de março 2020”.

Por isso juntou-se a um movimento de contestação contra as medidas sanitárias anti Covid-19 “que nos obrigam a fecharmos os nossos estabelecimentos”.

“Acreditamos que os espaços de baile e de restauração não são tão contagiosos como os transportes públicos ou os supermercados, bem pelo contrário” conta ao LusoJornal. Já foi manifestar a Paris e na passada segunda-feira, dia 1 de fevereiro, previu abrir o restaurante contra as diretivas sanitárias. “Tinha cerca de 40 reservas dos meus clientes” explicou Philippe Vieira da Silva.

Tudo começou a ser preparado logo a partir das 9 horas da manhã, mas por volta do meio dia, as forças policiais tomaram posse do espaço público e o Sous-Préfet, acompanhado do Chefe da Polícia local, intimidaram Philippe Vieira da Silva e a manifestação foi anulada na sua totalidade.

Não foram servidas refeições, mas cerca de 40 pessoas apoiaram Philippe Vieira da Silva no exterior do restaurante. “Estou consciente que não posso expor-me às sanções que me anunciaram as autoridades no caso de eu insistir no meu projeto de contestação. Tenho as minhas responsabilidades de empresário e também de chefe de família. Então anulei completamente esta minha ação, mas posso anunciar que em março o movimento já está a preparar uma ação na capital, que se chamará ‘En mars, tous au Champ de mars’. Vamos reunir centenas ou até milhares de responsáveis de bar e de restaurantes de toda a França, protestando contra estas medidas que levam à falência total das nossas empresas” afirma Philippe Vieira da Silva. “Mesmo com as ajudas do Governo, os nossos custos mensais não podem ser assumidos sem a abertura ao público dos nossos estabelecimentos”.

 

Empresas
X