Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Virginie Vila Verde vulgarizadora das tradições portuguesas em terras gaulesas

Donativos LusoJornal

Nascida em Roubaix de pais originários do Minho, Virginie Vila Verde, através das suas atividades voluntárias é uma divulgadora incansável das tradições portuguesas em França.

Virginie Vila Verde nasceu no seio de uma família onde o folclore português sempre fez parte de uma certa arte de vida e dança desde a tenra idade de cinco anos.

Com o passar dos anos nasceu na mente de Virginie Vila Verde o desejo de fazer folclore e de o apresentar de uma forma menos convencional, mas mais próxima da realidade, um folclore teatral que coloca no palco cenas da vida e seus afazeres. Nasce desta ideia o grupo Vivências do Minho de Tourcoing.

Das pesquisas de Virginie Vila Verde, o grupo criado em 2015 passa a apresentar atos da vida do passado com trajes de outros tempos. Trajes que alguns deles têm um século.

Paralelamente às Vivências do Minho, Virginie Vila Verde funda o grupo de cavaquinhos “Os Bate n’avó”, uma forma de honrar este instrumento bem português, que associado ao canto, rememora cantares dos nossos pais, avôs e mesmo para lá destes.

À pergunta sobre a situação do folclore português, pondo de lado a pandemia atual, Virginie Vila Verde responde que “estamos a atravessar uma fase transitória, dado que aqueles e aquelas que até agora transmitiam de forma oral as tradições e saberes populares do folclore, estão a desaparecer. Contudo os meios técnicos, gravações, blogs, permitem fazer perdurar o rico e diverso folclore português”.

“Em França os centros onde o folclore português é lembrado e praticado estão relacionados com a densidade dos Portugueses ou lusodescendentes” diz Virginie Vila Verde.

A nível do Norte de França, Virginie Vila Verde, observa uma certa “decadência”, o seu grupo sendo convidado em muitas ocasiões a festividades portuguesas e francesas.

O amor por Portugal, Virginie Vila Verde não o limita a estas duas atividades já que anima diversas páginas Facebook sobre as tradições portuguesas, sendo seguida por mais de 18 mil internautas. Um trabalho de pesquisa que já é uma referência sobre: “Trajes do povo em Portugal”, “Memórias do povo em Portugal”, “Crianças do povo em Portugal” e “Cancioneiro do povo em Portugal”.

Como tudo isto não chegasse, Virginie Vila Verde faz também parte do Comité France Portugal Hauts-de-France.

Com a pandemia que atravessamos, certas atividades estão ao “ralenti” ou mesmo paradas, contudo afirmamos que “as Vivências do Minho e Os Bate n’Avó são bens a proteger, a fazer perdurar, que vão reflorir assim que vencermos a pandemia”.

 

Associações
X