Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Comunidade

 

Yaël Braun-Pivet, que ontem foi eleita Presidente da Assembleia Nacional francesa, com 238 votos após duas votações, viveu dois anos em Portugal acompanhando o marido, Vianney Pivet, quadro superior da L’Oréal. Agora tornou-se a primeira mulher a presidir ao Parlamento francês.

Chegada há cinco anos à Assembleia Nacional, Yaël Braun-Pivet teve uma ascensão rápida: a nova Presidente do Parlamento francês, quarta figura do Estado, é advogada e exerceu durante alguns anos na região parisiense, tendo acompanhado o marido para o estrangeiro durante vários anos, passando por Taiwan, Japão e Portugal.

Yaël Braun-Pivet tem 51 anos e nasceu em Nancy. Foi membro do Partido Socialista (foi mesmo Tesoureira da Secção do Partido em Tóquio, nos anos 2000), e depois da République en Marche (agora Renaissance). Em 2017 foi eleita Deputada pelo 5° círculo eleitoral dos Yvelines porque mora no Vésinet com o marido e os 5 filhos. Aliás, continua a ser Conselheira municipal nesta cidade, nas listas do Maire (LREM) Bruno Coradetti.

Depois de eleita, Yaël Braun-Pivet presidiu a cobiçada Comissão de Leis e em maio deste ano, Emmanuel Macron nomeou-a Ministra do Ultramar, no Governo de Elisabeth Bornen cargo que apenas ocupou por algumas semanas.

Os avós de Yaël Braun-Pivet eram judeus polacos e refugiaram-se em Nancy, nos anos 30, para fugir ao antesimitismo. O avô acabou por ser Resistente durante a II Guerra mundial.

Yaël Braun-Pivet estudou Direito em Nanterre, exerceu durante 7 anos, e instalou-se com dois associados em Neuilly-sur-Seine.

Mas acabou por acompanhar o marido, primeiro em Taïwan, depois no Japão e em Portugal. De regresso a França, em 2012, dedicou-se ao voluntariado, com a associação “Restos du Cœur”, tendo organizado consultas grátis com advogados.

Em setembro de 2018, Yaël Braun-Pivet já tinha anunciado que queria ser candidata à Presidência da Assembleia da República, para substituir Richard Ferrand.

 

Donativos LusoJornal
X